Política

Igrejas promovem culto em homenagem a Neto

Nicolau Vasco|Menongue

Jornalista

Confissões religiosas promoveram, na cidade de Menongue, província do Cuando Cubango, louvaram a figura de Agostinho Neto, num culto de acção de graça, em alusão ao centenário, animado como o lema "Angolanos de mão dada para o futuro".

26/09/2022  Última atualização 07H04
Cristãos sublinham a importância das novas gerações continuarem a seguir o exemplo do primeiro Presidente de Angola © Fotografia por: Nicolau Vasco | Edições Novembro

O culto, realizado no sábado, no campo gimnodesportivo, foi prestigiado com a presença do governador do Cuando Cubango, José Martins, membros do governo e da sociedade civil, líderes e fiéis de congregações religiosas filiadas no Conselho de Igrejas Cristãs de Angola (CICA), entre outras.

O bispo Júlio Simão Sikembi disse que recordar António Neto, é falar de um homem com várias facetas, desde a poética, de médico e a de político corajoso. Referiu que Neto, designado nos círculos literários "poeta maior", após vários anos de luta armada, em companhia de figuras históricas, proclamou a Independência Nacional, a 11 de Novembro de 1975, no largo 1º de Maio, em Luanda.

Sublinhou que o legado do Presidente Neto é vasto, sendo por isso impossível descrevê-lo em poucas linhas. No conjunto dos seus feitos, se destaca, sobretudo, na Luta Armada de Libertação do jugo colonial e a conquista da liberdade, "tão sonhada a séculos pelos africanos, em geral, e os angolanos, em particular.

"A liberdade não tem preço. Hoje somos donos do nosso próprio destino, num país livre da expressão colonial, embora tenhamos ainda de lutar contra pequenos preconceitos, promovidos por pessoas que querem destruir a unidade nacional, a irmandade e a solidariedade entre os angolanos", disse Júlio Simão Sikembi.

O moderador afirmou que a melhor forma de honrar a memória de Neto é cumprir a palavra de ordem "o mais importante é resolver os problemas do povo". Pois, o povo deve ser o centro de toda a governação, sentenciou. Acrescentou, a partir desse ponto de vista, que o Governo deve trabalhar para edificar um país onde todos se possam sentir estáveis, construindo infra-estruturas económicas e sociais, para satisfazer as necessidades vitais, com vista a melhoria de vida população. Júlio Simão Sikembi disse que a província do Cuando Cuban-go precisa de realizar acções a nível dos serviços públicos. Referiu que a construção da estrada nacional de 140 Caiundo-Dirico, Cuíto-Cuanavale, com cerca de 1.500 quilómetros, a expansão da rede eléctrica, distribuição de água potável, urbanização da cidade de Menongue e outras sedes municipais devem constar das prioridades do Governo.

Fez questão de sublinhar que a Igreja congratula-se pelo facto do PIIM, com níveis de execução expectáveis, reconhece haver, desde Março deste ano, uma melhoria substancial da qualidade de vida na província. O religioso exorta as autoridades provinciais a prosseguirem com este es-forço, sobretudo no município de Menongue, com cerca de 400 habitantes.

Elogiou, igualmente, a acção do governo provincial que permitiu ligar o Centro Ortopédico João Bosco à rede pública de electricidade, oferecendo condições para a instituição afeiçoar o fabrico de próteses.


Governo realça iniciativa cristã 

OGovernador da província do Cuando Cubango, José Martins, agradeceu a Igreja pela realização do culto em homenagem ao centenário de António Agostinho Neto. Referiu que estão programadas, até ao final do mês, actividades culturais, desportivas e jornadas científicas, para aclamar os feitos do Fundador da Nação.             

José Martins garante  trabalhar seguindo a orientação do Presidente da República, segundo a qual é preciso trabalhar mais e comunicar melhor, em cumprimento de todos desafios plasmados no plano de governação para os próximos cincos anos. O governador sublinhou que no Cuando Cubango as acções passam, principalmente, pela melhoria das condições sociais e  económicas da população e das vias de comunicação.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política