Sociedade

Huíla tem registo de 20 óbitos por Covid-19

Gaudêncio Hamelay |Lubango

Jornalista

Até a última terça-feira, 20 pessoas morreram vítimas da Covid-19, na província da Huíla, informou a directora do Gabinete Provincial da Saúde na província.

04/02/2021  Última atualização 11H35
Luciana Guimarães, que fez a apresentação do tema "A situação epidemiológica da província”, durante o Conselho Consultivo Alargado do sector, referiu que, desde o início da pandemia, a Huíla notificou 421 casos da doença, 367 recuperados e 33 activos. Em quarentena institucional, a província registou 351 pessoas, enquanto 2.576 cumpriram a quarentena domiciliar, sob vigilância das autoridades sanitárias.Ainda na terça-feira, segundo Luciana Guimarães, estavam apenas três pessoas em quarentena institucional e 45 outras em quarentena domiciliar e acrescentou que foram rastreadas 550.686 pessoas.

"O rastreio foi realizado em diversos pontos criados na Huíla e abrangeu passageiros no Aeroporto Internacional da Mukanka, pontos rodoviários e nas fronteiras com as províncias da Huíla, Namibe, Cunene, Cuando Cubango, Benguela e Huambo”, disse.Luciana Guimarães explicou que para o sucesso das acções realizadas foram criadas equipas compostas por enfermeiros, médicos, vigilantes epidemiológicos, funcionários das administrações municipais, coordenadores dos bairros, Polícia Nacional e Bombeiros.

Para melhor controlo a nível da capital da província, esclareceu, o município do Lubango foi dividido em 9 sectores, respeitando aquilo que é o território e a localização dos centros de saúde de referência da Só Frio, Rio Capitão, Mapunda, Nambambe, Mitcha e as localidades do Toco, comuna do Hoque, Quilemba e Huíla."Cada um desses centros de saúde passou a ser a unidade de referência local. Começamos por fazer um raio de um quilómetro à volta da unidade sanitária, porém, este espaço teve de ser aumentado”, disse.

Para se prevenir das novas estirpes da Covid-19, a directora do Gabinete Provincial da Saúde fez saber que foram aprimoradas as medidas de controlo e prevenção dos passageiros oriundos de diversas províncias. Luciana Guimarães informou que está a ser feito um "grande” estudo para potencializar os pontos de acesso da província e também melhorar a abordagem da pandemia na comunidade.

"A província da Huíla registou o pico de casos da Covid-19 durante o período compreendido entre Setembro e Outubro do ano passado. Mesmo assim, as autoridades rapidamente inverteram o quadro”, disse.Além de apelar a população que a actual tendência descendente de casos da Covid-19 não deve fazer baixar a guarda, Luciana Guimarães sublinhou que é importante reforçar as medidas de prevenção, usando sempre a máscara, lavar as mãos com água e sabão constantemente, usar álcool em gel e observar o distanciamento físico.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade