Economia

Huíla aposta na electrificação para impulsionar a indústria

Arão Martins | Lubango

Jornalista

Vencer o desafio da electrificação e da interligação da Huíla à rede nacional de energia é a prioridade do Executivo para impulsionar a actividade industrial, enquanto factor estratégico para o desenvolvimento, afirmou, no Lubango, o vice-governador provincial para o sector Técnico e Infra-estruturas.

25/11/2022  Última atualização 12H50
Huíla aposta na electrificação para impulsionar a indústria © Fotografia por: DR

Hélio de Almeida, que falava, quarta-feira, na abertura da Feira dos Transportes e Indústria (Expotrans), que decorre até amanhã, na cidade do Lubango, com a participação de 60 expositores, destacou o potencial do sector da Indústria para o desenvolvimento, reafirmando a necessidade de acções para a sua dinamização na província da Huíla.

O vice-governador considerou que a Huíla tem todas as condições para se tornar num pólo de desenvolvimento industrial de vocação nacional, mas torna-se necessário implementar um projecto de electrificação e da interligação no sistema eléctrico nacional que vai permitir aumentar a qualidade e acesso à energia em condições de maior competitividade.

O responsável também falou sobre a questão da mobilidade, apontando a infra-estruturas como as estradas nacionais que cruzam o território da Huíla, afirmando que o conjunto desses activos é propenso à criação de uma plataforma de desenvolvimento industrial, de logística, transporte e impulsionadora do desenvolvimento de novos negócios na província.

 

Conformar os processos

O director do Gabinete Provincial do Desenvolvimento Económico Integrado, Manuel Machado Quilende, notou que a actividade industrial está associada a todos os fenómenos sociais, tendo vínculo com todas as questões de crescimento, desenvolvimento e geração de emprego.

Como parte desse processo, indicou, o Governo tem empreendido acções que visam conformar os processos administrativos e legais, para criar mecanismos que favorecem as operações dos agentes económicos.

Nessa acepção, a realização da Expotrans "é um sinal claro da preocupação e da importância de interagir com a sociedade, particularmente com o sector empresarial, na procura contínua de alianças que elevem o bem-estar das populações.

 

Processo de desenvolvimento

Por sua vez, a directora do Gabinete Provincial dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana da Huíla, Gracinda Gonçalves, considerou que o sector posiciona-se "na vanguarda do processo de desenvolvimento nacional”.

"Achamos pertinente que as forças vivas da nossa província contribuam com ideias e projectos que possam contribuir para a melhoria das questões do tráfego e da mobilidade na província”, defendeu.

Na feira, que decorre com objectivo de colher contribuições para melhorar a funcionalidade dos sectores dos Transportes e da Indústria, participam representantes do sector púbico e privado, tais como provedores de serviços de táxi personalizado, as Linhas Áéreas de Angola (TAAG), Caminhos-de-Ferro de Moçâmedes (CFM), serviços de rent-a-car e outros, enquanto no domínio indústria participam operadores dos ramos agroalimentar e indústria transformadora.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia