Regiões

Huambo vai produzir vacinas para animais

Victória Quintas / Huambo

Jornalista

Huambo vai contar, nos próximos tempos, com um Centro de Bioveterinária e Fábrica de Vacinas Animais. A informação foi ontem prestada pelo ministro da Agricultura e Pescas António Francisco de Assis, que procedeu ao lançamento da primeira pedra.

28/05/2022  Última atualização 08H45
Colocação da primeira pedra do empreendimento cuja construção vai ter uma duração de 36 meses © Fotografia por: Cedida

Financiamento da República Federal Alemã, por intermédio do banco Standard Chartered ECA (Agência de Crédito à Exportação) Euler Hermes, o projecto está avaliado em 125 milhões 221 mil, 858 e 76 dólares e será construído em 36 meses.

O ministro disse que o Centro irá trabalhar no domínio da produção de vacinas e fazer com que Angola seja auto-suficiente na produção das vacinas de uso veterinário, o que vai permitir o desenvolvimento da pecuária nos mais variados ramos.

"É um momento ímpar na história do país e da província do Huambo, onde se encontra grande capital humano com a possibilidade de formação a nível da agricultura. Nada melhor que brindar os técnicos que aqui se formam com uma estrutura que permita catapultá-los para os níveis de ciência existentes em outras partes do mundo”, sublinhou.

Com a capacidade de produzir 30 milhões e 600 mil unidades por ano, o centro prevê fabricar vacinas contra carbúnculo interno e externo, diarreia dos vitelos, clostridiose e peripneumonia bovina, enterotoxermia ovina  e outros mamíferos. Vai ainda produzir vacinas para aves contra Newcastle, bronquite infecciona, varíola, entre outras, num total de 150 milhões e 600 mil unidades por ano.

O governador em exercício da província do Huambo, Francisco Jamba Kata, disse que a construção do Centro de Bioveterinária e Fábrica de vacina animal agregará valores e injectará dinamismo na criação, produção, e reprodução animal, na província do Huambo.

Deste modo disse, estarão as condições criadas e a bases para que o Huambo possa continuar com projectos sustentáveis de criação de animais saudáveis que contribuam para a melhoria da saúde das pessoas e com isso fazer vincar o adejo popular que diz "se o campo não trabalhar a cidade não janta”.

Francisco Kata reiterou o compromisso do governo da província de continuar a trabalhar para o aumento da produção local e combater a fome e a pobreza, bem como, preservar a infra-estrutura a ser construída.

 O projecto prevê a construção do edifício principal que terá uma área de produção, área técnica, zona de armazenamento, escritórios e laboratórios. Oficinas e instalações de serviços, de controlo de qualidade animal e de investigação e desenvolvimento animal.

Prevê igualmente a construção de 30 residências, uma área social, além de proporcionar mais de 300 empregos na fase de construção e outros 200 na fase operacional. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões