Regiões

Huambo aposta na recolha de crianças e jovens das ruas

Justino Victorino / Huambo

Jornalista

Crianças, adolescentes e jovens que deambulam e pernoitam em ruas da cidade do Huambo serão recolhidos e encaminhados em centros de acolhimento, segundo a directora do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género.

22/02/2022  Última atualização 08H10
Vista parcial da cidade do Huambo, onde tende a crescer o número de crianças de e na rua © Fotografia por: DR

Fátima Cawewe, que falava à margem da reunião do Governo Provincial, orientada pela governadora Lotti Nolika, explicou que o modelo de recolha de crianças, adolescentes e jovens está definido e começa a ser executado brevemente, em colaboração com a Administração Municipal do Huambo, quando estiverem reunidas as condições logísticas. 

Acrescentou que o plano de recolha de crianças, adolescentes e jovens das ruas está idealizado há muito tempo, mas a falta de espaço inviabilizou a sua materialização. "Alguns parceiros sociais manifestaram a disponibilidade em apoiar a iniciativa, pelo que o projecto será concretizado em breve, tendo em conta que o problema relacionado à falta de espaço já está ultrapassado". 

A directora do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género disse ser imperioso avançar com o processo de recolha de crianças, que correm sérios riscos de ser infectadas por várias doenças, principalmente nesta época chuvosa, em que os casos de doenças respiratórias são acentuados.   "O Governo da província e os parceiros sociais tudo estão a fazer no sentido de reunir as condições para que as crianças possam ter abrigo condigno,” sublinhou. 

Para a governadora do Huambo, "não basta recolher as crianças das ruas, é necessário garantir alimentação, produtos de higiene pessoal e vestuário, sob pena de se colocar em risco este trabalho", pelo que pediu solidariedade dos parceiros do Governo Provincial para que o projecto decorra sem sobressaltos. 

Lotti Nolika considerou eficaz o modelo apresentado, por estar alinhado à garantia dos direitos económicos, sociais e culturais das crianças, devendo-se continuar a trabalhar para travar a onda crescente de famílias e crianças em ruas da cidade do Huambo. 

 

 Construção de Orfanato 

A Administração Municipal do Huambo está a trabalhar na identificação de um espaço para a construção de um orfanato ou centro de acolhimento para famílias que vivem em situação de vulnerabilidade, debaixo de prédios, com realce aos da Angotel, da FAPA, área adjacente ao Hotel Tchimina e outros. 


Índice de prostituição  tende a aumentar 


A directora do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade de Género manifestou-se preocupada com o aumento do índice de prostituição na província do Huambo, com realce no município sede, apontando a perda de valores morais e cívicos no seio de muitas famílias e as dificuldades sociais como as principais causas.  

 Fátima Cawewe, que falava, na semana finda, numa reunião orientada pela governadora  Lotti Nolika, para abordar a situação da implementação da Política Nacional de Género, sublinhou que os factores mencionados têm provocado a perda de dignidade das mulheres que optam pela prostituição como forma de ganhar dinheiro.

 Durante o encontro, a governadora da província do Huambo defendeu a necessidade de se criarem acções de curto, médio e longo prazos, para se de desencorajar a prostituição, acrescentando que, para se combater este fenómeno, é preciso localizar e responsabilizar os mentores.  

Segundo Lotti Nolika, "não basta atacar as meninas, mas sim os promotores desses actos". Disse acreditar que existe uma rede de indivíduos que buscam, em diversos pontos, mulheres para se prostituírem em ruas da cidade, pelo que os órgãos policiais e judiciais devem agir em conformidade com a Lei. 


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões