Regiões

Huambo: Acidentes de viação provocam 61 vítimas mortais

Estácio Camassete | Huambo

Jornalista

O Huambo registou, durante o segundo trimestre deste ano, um total de 61 vítimas mortais, em consequência de 200 acidentes de viação, informou, segunda-feira, o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior (MININT) na província.

26/07/2022  Última atualização 10H25
Número de pessoas mortas e prejuízos causados nas principais rodovias do país continua a preocupar as autoridades © Fotografia por: Edições Novembro

O superintendente-chefe Martinho Kavita, que apresentou o balanço das ocorrências dos meses de Abril, Maio e Junho, criticou os números, particularmente por 52 por cento das causas das mortes nas estradas, serem os atropelamentos. "O município sede da província, Huambo, teve o maior registo, com 22 mortes, seguido pela Caála, com 11, e Ecunha, com uma morte”.

No período em destaque, esclareceu, a província registou cem acidentes por atropelamentos, que fizeram 32 mortes e 98 feridos, assim como aconteceram 23 choques entre veículos automóveis, cujas consequências foram seis mortos e 18 feridos.

Nas ocorrências, acrescentou, há, também, a destacar 57 choques entre veículos automóveis e velocípedes com motor, que causaram sete mortes e 59 feridos, bem como 12 colisões entre velocípedes com motor, com duas vítimas mortais e 21 feridos. "Temos igualmente o registo de 35 capotamentos de automóveis, que mataram 9 pessoas e 17 choques contra obstáculos fixos, dos quais foram vítimas cinco pessoas”.

Os resultados, apontou, indicam que os números de casos dos atropelamentos são os que mais causaram mortes, sendo, por isso, fundamental sensibilizar automobilistas e peões. "O ambiente rodoviário requer educação”, destacou, além de pedir aos automobilistas mais precaução. "É preciso diminuir o número de acidentes. A polícia vai ser dura na actuação de automobilistas a conduzirem sob efeito de álcool”, prometeu.

Os acidentes, indicou, acontecem, com frequência,  nas estradas que ligam o bairro de São João ao Cambiote, passando pelo Cachiungo, no troço São Pedro-Caála e da rua do Comércio ao Benfica. "Os acidentes acontecem nestes locais devido ao acentuado fluxo de movimento de pessoas, por ser a placa giratória rodoviária da zona Centro e Sul do país”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões