Regiões

Hospital Sanatório precisa de médicos

O Hospital Sanatório do Uíge precisa de pelo menos dois médicos pneumologistas e seis técnicos de saúde especializados em doenças respiratórias, para atender a demanda de pacientes, disse, ao Jornal de Angola, o director da referida unidade sanitária, Eugénio Alves.

09/08/2021  Última atualização 09H55
Vista parcial da capital do Uíge que precisa de mais médicos © Fotografia por: DR
Acrescentou que o Hospital Sanatório do Uíge, que atende, em média diária, 60 a 70 pacientes, não tem nenhum médico especializado em doenças respiratórias.


"Os pacientes são atendidos por seis médicos de clínica geral e por 23 enfermeiros não especializados em doenças respiratórias, uma situação que precisa ser corrigida, para melhorar o diagnóstico e prescrição medicamentosa", sublinhou Eugénio Alves. O Hospital Sanatório do Uíge, referiu, recebe pacientes de todos os municípios, com diferentes patologias do fórum respiratório. Actualmente tem o controlo de 450 pacientes, dos quais 50 internados e os outros em tratamento ambulatório.


Eugénio Alves revelou que quase todos os hospitais municipais atendem doentes com tuberculose em fase inicial, mas a maior parte prefere deslocar-se à cidade do Uíge, por acreditar encontrar melhores serviços.


Para diminuir a tendência crescente de doentes do fórum respiratório, o médico defende a realização periódica de palestras de sensibilização nas comunidades, visando a melhoria da dieta alimentar, a diminuição do uso excessivo de cigarro e do álcool.


O director referiu que, nos próximos tempos, o Hospital Sanatório do Uíge terá que ser transferido para instalações apropriadas, tendo em conta que foi construído com material não indicado, o que causa desconforto aos pacientes, principalmente durante o dia, devido às altas temperaturas.


 "Temos medicamentos e comida para os doentes e pessoal em serviço, no entanto preocupa-nos a comodidade dos utentes, devido à qualidade do ar que se respira, dadas as patologias que apresentam. Este edifício é de chapa, revestido com esferovite. Faz muito calor, o que causa desconforto, até ao pessoal médico”, lamentou.

 Nicodemos Paulo | Uíge

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões