Sociedade

Homens são aconselhados a fazer exames com regularidade

Carla Bumba

Jornalista

O director do Instituto Nacional de Luta contra o Cancro, Fernando Miguel, disse, sexta-feira, em Luanda, que muitos homens, infelizmente, não têm a cultura de fazer exames para o diagnóstico ou não de casos de próstata.

06/11/2022  Última atualização 14H19
Apenas casos detectados tarde param nos blocos operatórios © Fotografia por: DR

Acrescentou que nos 35 casos de cancro da próstata registados no ano passado, os pacientes chegarem com a doença em estado avançado, o que fez com que muitos terminassem em óbito.

Segundo Fernando Miguel, que falava numa palestra promovida pela Liga Angolana contra o Cancro, "é muito difícil trabalhar com os homens, pois, talvez, por pudor, se recusa-se fazer o teste do cancro da próstata, sem ter em conta que caso não se detecte,  antecipadamente,  pode trazer muitas consequências”.

Apelou aos homens, depois dos 40 anos, no sentido de fazerem consultas de urologia, uma vez por ano. 

Na ocasião, a presidente da Liga Angolana contra o Cancro, Luzimira João, disse que muitos casos não chegam ao conhecimento das autoridades sanitárias, devido ao tabu, pois muitos homens se negam a fazer o toque rectal. 

"A maioria dos casos é diagnosticado em consultas de urologia e os pacientes só aceitam fazer o toque rectal por apresentarem problemas ligados à impotência sexual", disse Luzimira João, acrescentando que cerca de 90 por cento dos casos podem ter cura, desde que o diagnóstico seja feito precocemente. 

"A Luta contra o Cancro da Próstata é um grande desafio, há a necessidade de se vencer o preconceito, porque é importante diagnosticar, para se evitar outros problemas”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade