Economia

Grupo Veleiro inaugura o Condomínio de Fútila

O presidente do Grupo Veleiro, anunciou, ontem, em Luanda, que a primeira fase do Condomínio Fútila, em construção na região com mesmo nome, em Cabinda, é inaugurada em Setembro, depois de absorver investimentos de mais de 201 milhões de dólares.

04/06/2021  Última atualização 08H49
© Fotografia por: DR
Pedro Godinho disse, em declarações ao Jornal de Angola, que, até ao momento, a obra atingiu os 99 por cento de execução, estando concluídos 11 edifícios, além de arruamentos e outras infra-estruturas.
"Apesar das dificuldades encontradas devido a vários factores, incluindo a situação da pandemia, conseguimos  concluir a primeira fase da obra. Agora, se não acontecer mais nada, vamos inaugurar a primeira fase em Setembro deste ano”, declarou à nossa reportagem o presidente do Grupo Veleiro.

De acordo com o empresário, a execução do projecto contempla duas fases e, neste momento, tem a primeira fase concluída. Inicialmente, uma etapa que deveria levar à inauguração em Março do ano passado, mas foi adiada devido a vários factores.
O Condomínio Futila estava orçado em 173 milhões de dólares, mas acabou por se fixar nos 201 milhões, como consequência da depreciação do kwanza, acrescentou Pedro Godinho.

O grupo também projecta a construção de um hotel de  cinco estrelas à entrada da Ilha do Cabo, em Luanda, que poderá vir a ser gerido pela cadeia internacional Radisson, com a qual já havia sido celebrado um acordo, tendo, até, acompanhado a concepção do projecto do ponto de vista técnico, adequando-o aos padrões com os quais opera.

O projecto está a ser reestruturado para adaptá-lo à realidade actual, uma vez que havia sido concebido, há já alguns anos, num contexto socioeconómico e financeiro diferente do actual, notou o empresário.
Na altura da concepção técnica e operacional do projecto, há cerca de seis anos, previa-se empregar na construção da unidade hoteleira cerca de 195 milhões de dólares.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia