Economia

Grupo Mandinga, Lda chama 3.000 candidatos

O Grupo Mandinga, Lda, Sociedade Privada vai testar alguns dos mais de três mil candidatos dos 7.507 inscritos n concurso que realizou em Outubro de 2021 para o preenchimento de vagas no seu quadro de pessoal.

28/07/2022  Última atualização 08H20
Projecto “Raíz do Quimbo” deverá, em breve, iniciar as obras © Fotografia por: DR

Conforme o anúncio divulgado no Jornal de Angola de segunda-feira, os 4.507 candidatos não apurados ficam ainda assim em espera, uma vez que o grupo possui, até 2035, uma série de projectos por implementar pelo país.

É previsão do grupo iniciar, em breve, a construção do Projecto Habitacional "Raíz do Quimbo” na zona adjacente à Centralidade do Kilamba, em Luanda.

A empreitada é da responsabilidade do grupo Mandinga e será erguida em mais de quatrocentos hectares, integrado por 440 habitações e outros 160 edifícios para a zona comercial, que será constituída, igualmente, por bancos e escritórios.

Do grupo de três mil funcionários recrutados, cujo processo de apuração inicia em data a anunciar, 1.110 são pedreiros, carpinteiros, marceneiros, electricistas e canalizadores.

Sem avançar o tempo de duração das obras e os parceiros encarregues da construção do referido projecto, o grupo Mandinga assume ser uma iniciativa cujos preços vão estar alinhados à realidade do mercado local.

Os outros projectos do Grupo Mandinga e que irão também absorver a força de trabalho agora não recrutada são o Projecto Habitacional "Cidade da Mandinga”, em Luanda; Projecto "Mundo da Comida”, também em Luanda, assim como o Projecto "Kuva”. Já o Projecto "PRONA – Produção Nacional de Produção de Mandioca e Milho”, este nas províncias do Bengo, Cuanza-Sul, Cuanza-Norte, Malanje, Lunda-Sul e Benguela. Também há ainda o Projecto "Gigante Africano (Indústria Cimenteira)”, nas províncias de Malanje e Moxico.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia