Cultura

Grupo coral lança primeiro disco

O grupo coral Época de Liberdade, da paróquia Nova Jerusalém, afecta à Igreja Evangélica Reformada de Angola (IERA), no Uíge, lança no próximo ano, a primeira obra discográfica gospel, com 12 faixas musicais.

15/09/2022  Última atualização 06H45
© Fotografia por: DR
As músicas são cantadas em kikongo, lingala, português e em umbundo, anunciou, no domingo, o director do grupo, António Campos Moreira.

O responsável, que falava durante o acto das comemorações dos 11 anos de existência do coro, assegurou que estão a ser dados os últimos passos para a concepção do primeiro CD gospel, que vai trazer uma nova visão sobre a qualidade e excelência do louvor.

"Nesta obra discográfica, vamos transmitir mensagens que visam a exaltação de Deus, reeducação e resgate de almas,  falamos sobre a importância do amor ao próximo, da busca pela salvação, sob uma visão que perpassa a renovação musical cristã, por isso, a excelência será a assinatura desta obra”, disse.

António Campos Moreira, embora não tivesse mencionado o título da obra, disse que o grupo coral Época de Liberdade vai apresentar ao público um repertório de referência, que facilita não só a busca do êxtase espiritual ou de uma atmosfera litúrgica festiva, mas também evangelizar e levar a uma reflexão profunda dos ouvintes sobre a importância de ir a uma igreja e considerar a palavra de Deus como o único caminho para a vida eterna em Cristo.

O coro Época da Liberdade foi fundado a 11 de Maio de 2011, por um grupo de jovens tementes a Deus, entre eles André Kololo, Beatriz Antunes Domingos, Moisés Fernando, António Raul, e Pensamento Vida, divulgando o evangelho de Cristo por intermédio de louvores e orações.

O grupo é composto por 49 membros, e pretendem melhorar a vida espiritual dos coristas, e continuar a pregar o Evangelho para conquistar mais almas para o convívio Cristão.

O reverendo da Igreja IERA, Afonso Pedro, que orientou o culto das comemorações, exortou à juventude a abandonar o uso de bebidas com álcool, a prostituição, o roubo, as drogas e outros actos de violência que não ajudam no bom convívio social.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura