Desporto

Grupo C : “Lewa” leva Polónia ao topo do Grupo

Francisco Carvalho

Com uma assistência e um golo “histórico”, o atacante Robert Lewandowski levou a Polónia ao topo do Grupo C do Campeonato do Mundo de futebol, que decorreu no Qatar até 18 de Dezembro, após a vitória por 2-0 sobre Arábia Saudita no segundo jogo.

27/11/2022  Última atualização 09H41
Capitão polaco superou, ontem, o obstáculo montado pelo guarda-redes saudita Al-Owais © Fotografia por: DR

A vitória aumenta a probabilidade de classificação aos oitavos-de-final e atira a pressão aos argentinos de Lionel Messi no último jogo da fase regular.

O camisa 9 polaco entrou motivado para apagar a história do jogo de estreia, no qual falhou um penáltie e permitiu o empate com o México. Ontem, no quinto jogo de um Mundial, o atacante do FC Barcelona balançou as redes pela primeira vez na carreira. A satisfação contagiante do atleta no Estádio Education City é enriquecida com a assistência para o golo de Zielinski e um remate à trave da baliza do guarda-redes Al-Owais.

Com a vitória, Lewa, como também é conhecido entre os amigos, respira de alívio ao lado de colegas comandados por Czeslaw Michniewicz.

 

HISTÓRIA DO JOGO

A jogar em "casa”, Arábia Saudita fez-se representar em grande número nas bancadas após a vitória sobre a Argentina. A confiança do grupo era alta. A pressão sobre os europeus ficou vincado nos minutos 15 e 16, quando os polacos Kiwior e Cash receberam cartões amarelos por entradas duras nos sauditas. Na sequência, aos 19 minutos, Milik juntou-se ao grupo de amarelados por puxar calção de Al-Amri e impediu um contra-ataque da Arábia.

O técnico alterou o sistema táctico e passou a controlar mais a bola, mesmo a Arábia Saudita apresentar-se melhor no jogo. Aos 39 minutos, Zielinski recebeu um passe dentro da área de Lewandowski e abriu o placard com um remate de belo feito. O golo foi o primeiro no Estádio Education City neste mundial.

Em busca do empate, a Arábia Saudita acelerou mais e passou a desbravar a área adversária. Aos 41 minutos, o VAR entrou em acção ao recomendar a revisão de uma disputa em que Bielik derrubou Al Sheri. O árbitro brasileiro Wilton Pereira Sampaio não teve dúvida da falta e marcou a penalidade.

Delírio total no estádio Education City. A expectativa do empate mexeu com os corações dos sauditas. Com as mãos ao alto e nos rostos, as preces foram enviadas ao Alá. Salem Al-Dawsari é chamado para cobrar. Movido de cinismo, cobrou rasteiro no lado direito e o guarda-redes Szczesny fez-se ao lance e travou a trajectória. Na recarga, o polaco mesmo caído, brilhou novamente ao fazer uma super defesa.

Durante todo o jogo, os sauditas pressionaram bastante e mantiveram mais a posse de bola. No segundo tempo, Al-Dawsari, Al-Brikan e Kanno erraram os alvos. Aos 33 minutos, Al-Abid ficou com a sobra, depois de uma óptima jogada pela esquerda, bateu e a bola passou muito próxima à trave de Szczesny.


  Ali Al-Budayhi desconcentra atacante polaco

O defesa saudita Ali Al-Budayhi entrou, ontem, na quadra de jogo com uma missão especial: desconcentrar o atacante polaco Robert Lewandowski, no desafio da segunda jornada do Grupo C. Ao longo de todo o jogo, foi visível o gesto de provocação, mesmo sabendo que estava diante do melhor jogador do mundo de 2020/2021.

Ali é defesa da Selecção considerada a mais fraca do grupo, mas a missão da Arábia Saudita no Campeonato do Mundo não é de todo fácil. Os jogadores estão preparados para não se intimidarem diante das estrelas mundiais. No confronto com a Argentina, o defesa provocou Lionel Messi e, ontem, voltou à cena ao tirar do sério o atacante Lewandowski.

A estratégia estava bem montada. Ali tentou desconcentrar o atacante polaco com gestos. Face à persistência, o capitão da Polónia foi visto a fazer sinais ao árbitro do jogo, o brasileiro Wilton Pereira Sampaio, a pedir uma possível punição ao defesa saudita.

A forte personalidade de Al-Bulayhi ficou registada no jogo de estreia, quando rechaçou um possível favoritismo da Argentina. Em entrevista à imprensa, no final do jogo, revelou detalhes da provocação ao Messi: "Disse-lhe que não ganharia ao jogo. Estamos a jogar com uma equipa inteira, não com um jogador. Somos onze contra onze. Estamos preparados para os três jogos e apenas com o da Argentina”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto