Economia

Governo promove produção de cereais do Leste do país

Armando Sapalo | Dundo

Jornalista

O Governo angolano decidiu transformar o Leste do país no maior produtor de arroz e outros grãos, para eliminar a dependência da região do sector diamantífero, afirmou o ministro da Economia e Planeamento, Mário Caetano João, no Chitato, Lunda-Norte.

28/06/2022  Última atualização 07H45
© Fotografia por: DR

À margem da entrega de uma máquina de descasque  de arroz à cooperativa Camuenge Dieie, no domingo, acrescentou que o projecto do Presidente da República, João Lourenço, é ver o Leste a elevar a capacidade de produção de grãos para servir o país como parte dos esforços de segurança alimentar e nutricional, bem como de redução da elevada dependência  da importação.

Em declarações  à imprensa, o ministro disse que o reforço do sistema de produção de cereais no Leste, com a en-trega da máquina de descasque de arroz à cooperativa, é um projecto que o Executivo considera uma iniciativa piloto que deverá ser extensiva aos  outros municípios das províncias da região, nomeadamente, Lunda-Norte, Lunda-Sul  e Moxico. 

Na companhia do governador da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, Mário Caetano João  considerou que, além do Executivo, as associações e cooperativas, assim como a banca comercial, devem trabalhar na materialização de políticas voltadas para a melhoria da actividade agrícola. 

Mário Caetano João apontou que a produção de arroz vem sendo considerada pelo Executivo,  como uma excelente via para colocar o Leste no topo do sector da Agricultura. 

Mário Caetano João disse que regressa a Luanda com novas ideias para replicar a entrega de máquinas de descasque de arroz aos demais produtores. 

A cooperativa Camuenge Dieie, que recebeu uma má-quina com capacidade de  descasque de 1.300 quilos de arroz por hora, detém um elevado potencial de produção de arroz. Além do Chitato, Lôvua, Cuílo, Lubalo e Cambulo figuram entre municípios  da Lunda-Norte com provável sucesso nesse domínio.

 


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia