Política

Governo não interfere na vida interna das igrejas

O ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz, disse que o Estado angolano é laico, não interfere na vida interna das confissões religiosas, respeita a liberdade de cada um, têm o papel de salvaguarda do cumprimento da Lei.

03/12/2021  Última atualização 01H01
© Fotografia por: CEDIDA

 O governante que cumpriu na semana passada uma visita ao Brasil, durante a qual, manteve encontros de trabalho com o ministro brasileiro da Justiça e Segurança Pública e com o secretário-geral do Ministério das Relações, reafirmou esta posição quando questionado sobre a Igreja Universal do Reino de Deus em Angola (IURD)

Francisco Queiroz afirmou que a posição do Governo angolano com relação a esta Igreja é clara, não mudou, o comprometimento é o mesmo para com a Constituição e a Lei, o conflito é interno, devem ser os fiéis ao abrigo dos seus estatutos a resolver internamente os seus próprios problemas.

O ministro sublinhou ainda que o Estado somente deve intervir, desde e quando, as práticas resvalem no incumprimento da Lei e a estabilidade e integridade pública estejam em risco.

Francisco Queiroz abordou, igualmente, sobre o processo de emissão de bilhetes de identidade e as perspectivas do processo eleitoral na diáspora brasileira tendo manifestado a sua satisfação pelo nível de organização constatado e de aderência da comunidade.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política