Economia

Governo leva ao Cunene feno para salvar rebanhos

O Ministério da Agricultura e Florestas reforçou, com 45 toneladas de feno, a capacidade do Governo da Província do Cunene de fazer face aos efeitos da seca nos bovinos.

22/04/2019  Última atualização 07H31
DR © Fotografia por: A seca já dizimou na região cerca de 19 mil bovinos

Usado para alimentação do gado, na falta de pastos, o feno é uma mistura de plantas ceifadas e secas, geralmente gramíneas e leguminosas, usado como forragem para o gado, mediante a desidratação que retira a água, mas mantendo o valor nutritivo e permitindo a armazenagem por muito tempo sem se estragar.
A par do feno, foram igualmente entregues 32 toneladas de sal comum, 630 quilos de sal mineral, 100 de carrapacidas e equipamentos veterinários, no âmbito do plano de emergência de combate à seca que assola a região Sul do país.
A entrega dos meios coube ao secretário de Estado para Agricultura e Pecuária, José Carlos Bettencourt, que disse que o material entregue constitui o primeiro lote de meios destinados ao Cunene para assistir cerca de oito mil bovinos.
Informou ainda que chegam à província, na próxima semana, 200 toneladas de milho em grão, 300 de farelo de trigo e 40 de feno.
José Bettencourt lembrou que o Ministério da Agricultura e Florestas disponibilizou 600 milhões de kwanzas para a acção de emergência com vista a mitigar a situação da seca, com a abertura e reabilitação de 10 furos de água ao longo da fronteira com a Namíbia, construção de algumas formações zoosanitárias como bebedouros, chafarizes, manga de vacinação e currais destinados ao tratamento.
A vice-governadora do Cunene, Suraya Mateus Kalongela, indicou que, nos últimos três meses, morreram 19 mil bovinos, dos 702 mil ameaçados pela seca.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia