Cultura

Governo destaca contributo de Angola na História dos EUA

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, destacou, ontem, em Hampton, Virgínia, o contributo de Angola nas páginas da História dos Estados Unidos da América (EUA).

22/08/2021  Última atualização 06H25
"Angola entrou nas páginas da História dos americanos graças à tenaz personalidade, extraordinária capacidade de trabalho e vontade inequívoca dos primeiros escravos em trilhar e vencer as inúmeras vicissitudes da vida, num contexto de escravidão”, lembrou o ministro, ao intervir na cerimónia anual de homenagem à chegada dos primeiros 20 escravos angolanos aos EUA.

A homenagem, disse, celebra a coragem de mulheres e homens que embarcaram numa viagem que transformou o curso da História de um povo e de um continente.

Foi no Estado de Virgínia, onde, há 402 anos, desembarcaram os  primeiros escravos angolanos que pisaram as terras dos EUA, em Agosto de 1619, no Século XVII.

De acordo com Jomo Fortunato, o passado histórico dos escravos angolanos na América, através do comércio transatlântico, pode ser hoje transformado em várias valências, incrementando as relações de amizade e cooperação, bem como aproveitando a ponte da diplomacia cultural, rumo a "significativas e criativas estratégias de aproximação económica”.

Durante a intervenção, o ministro recordou palavras do Presidente da República, João Lourenço: "esta é sempre uma oportunidade singular de Angola projectar a sua imagem e divulgar a importância histórica de um passado que pode ser reaproveitado, na perspectiva do desenvolvimento económico.”

O ministro acredita que "estão criadas as condições para um diálogo mais aberto e fraterno, rumo à concretização do que pensamos ser a nova Angola, baseada numa abertura económica em que os Estados Unidos da América têm tido e terão um papel de suma importância a desempenhar neste processo”.

A cerimónia, deste ano, da chegada dos primeiros 20 escravos angolanos aos Estados Unidos,  foi testemunhada pelo prefeito da cidade de Hampton, Donnie Ray Tuck, o embaixador de Angola nos EUA, Francisco do Espírito Santo, e membros da família Tucker (descendentes dos primeiros angolanos que chegaram aos Estados Unidos).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura