Cultura

Governo de Luanda pede civismo aos fãs de Nagrelha

Manuel Albano

Jornalista

O Governo da Província de Luanda apelou, este domingo, aos admiradores do kudurista Nagrelha (dos Lambas), falecido na sexta-feira, em Luanda, vítima de cancro no pulmão, a pautarem pelo civismo e evitarem criar arruaças ou distúrbios na via pública antes, durante e depois do funeral, que se realiza, amanhã, às 11h00, no Cemitério da Santa Ana.

21/11/2022  Última atualização 10H48
Manuel Gonçalves (ao centro) aconselhou munícipes a não praticarem actos de vandalismo © Fotografia por: Alberto Pedro | Edições Novembro

O pedido foi feito, durante uma conferência de imprensa, realizada na Galeria dos Desportos, na Cidade Desportiva, pelo vice-governador de Luanda, para o sector Político e Social, Manuel Gonçalves, que pediu a observância da prática da boa convivência social.

Manuel Gonçalves referiu que não será uma situação fácil de gerir devido à dimensão do falecido, por ter sido um cantor que arrastava multidões e que tinha um público próprio e característico. "Qualquer que fosse as medidas de segurança pode não traduzir a grandeza do percurso artístico do Nagrelha”, alertou.

O governante disse que em concertação com as famílias do malogrado, da esposa e da comissão organizadora para as exéquias de Nagrelha, integrada pelos kudristas Pai Diesel, Bebo Clone, Andeloy e Negro 5, o corpo sairá da Cidadela Desportiva, onde acontece hoje o velório e as homenagens.

O cortejo fúnebre vai circular por algumas artérias da cidade, passando pelas ruas do Baião, Travasso, Lama e Campo Mário Santiago, no Sambizanga, e tem previsão de chegada às 10h00, no cemitério da Santa Ana.

Por uma questão de segurança, a polícia só vai permitir durante o desfile do cortejo fúnebre viaturas autorizadas e as pessoas que estejam directamente ligadas à organização, bem como vão ser criados vários cordões de segurança para se evitar que a população se aproxime da viatura fúnebre.

Na Avenida Deolinda Rodrigues haverá alterações na circulação no período das 10h00 às 12h00, segundo o subintendente da Polícia Nacional Lázaro Conceição. "Estamos a criar condições para criar vias alternativas pelo Palanca que vai desembocar até ao 1º de Maio”, garantiu.

 

Sambizanga em festa

A nossa reportagem deslocou-se ontem até ao bairro onde nasceu e cresceu o músico Nagrelha, na rua do Baião. O cenário encontrado era de festa e não de tristeza. Por todo lado era visível panfletos e dizeres de carinho como forma de render uma singela homenagem ao Nana, como era carinhosamente tratado pelos mais próximos.

De acordo com um dos moradores interpelado pela equipa de reportagem, está a ser preparado um grande espectáculo para o dia 17 de Dezembro, na separação entre as ruas do Baião, Travasso e Lama, numa organização dos próprios moradores.

Já na rua do Baião, a multidão de admiradores do Nagrelha faziam a festa. Por todo lado somente as músicas dos Lambas eram ouvidos, como forma de homenagear aquele que foi considerado o maior fenómeno do estilo kuduro no país.

"As ruas estão lotadas e vão continuar assim até o dia do enterro do Nagrelha”, comentou euforicamente o morador Índio Lobo, que garantiu estar a ser preparada uma grande homenagem para o Nagrelha.

Segundo o morador, a vizinhança, na terça-feira, vai manter as portas das casas abertas e nenhum dos moradores vai trabalhar para poder render um merecido tributo a figura de um dos maiores ícones da música angolana, do estilo kuduro.  Junto à antiga parada do Nagrelha, no Quintal da Lalá, foi montado um pequeno palco para exibições de kuduro.

 

Reacções

O Bureau Político do partido MPLA considerou, no sábado, que o músico Nagrelha com mérito dos seus fazedores "conquistou um lugar no rico acervo cultural nacional”.

"Foi com profundo sentimento de consternação que o Secretariado do Bureau Político do MPLA, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do Partido, tomou conhecimento da morte do senhor Joelson Caio Manuel Mendes, mais conhecido nas lides artísticas como ‘Nagrelha dos Lambas’ ou ‘Estado Maior do Kuduro’, ocorrida em Luanda, sexta-feira, por doença, aos 36 anos”, refere uma mensagem de condolências.

No documento, o MPLA ressalta que pela sua forma ímpar e inigualável de ser e estar, Nagrelha inspirou e mobilizou muitos artistas a aderirem o estilo "Kuduro”.

Para o MPLA, o músico notabilizou-se como dos mais carismáticos integrantes do Grupo Musical "Os Lambas”, responsáveis pela introdução de um novo paradigma no estilo musical Kuduro, marcado por composições com apreciável rima e elevada capacidade criativa, que catapultaram o grupo ao patamar dos melhores no estilo em referência.

"O forte pendor mobilizador que nos habituou em vários actos e actividades, bem como o carinho com que Nagrelha nos habituou, provocará sempre uma grande saudade entre os admiradores e fãs da sua performance artística”, destaca o MPLA.

"Nesta hora de dor e de luto, o Secretariado do Bureau Político, em nome de todos os militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, apresenta à família de Joelson Caio Manuel Mendes, sentidos pêsames”, lê-se na mensagem.

Por sua vez, o grupo parlamentar da UNITA, o comunicado refere que falar do Nagrelha dos Lambas é falar de um ícone da música popular, especialmente da juventude angolana; falar da morte de Nagrelha é falar de uma dor que trespassa  corações de  milhares de angolanos jovens e adultos amantes do Kuduro.

"Nagrelha, muito jovem,  notabilizou-se como um ícone da cultura e uma referência para milhares de jovens angolanos, sobretudo, amantes do estilo musical e dança Kuduro”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura