Regiões

Governo da Lunda-Norte já arrecadou duas toneladas de bens para ajudar Cuba

Armando Sapalo | Dundo

Jornalista

O Governo Provincial da Lunda-Norte já arrecadou, mais de duas toneladas de bens alimentares e outros produtos não perecíveis, para ajudar Cuba da crise que enfrenta, depois de ser assolada pelo furacão Ian, no mês passado.

24/10/2022  Última atualização 11H11
© Fotografia por: DR
Nesta causa, envolveram-se também na recolha de donativos, as administrações  municipais, empresários e a população em geral da Lunda-Norte. Até ontem, a Associação dos Ex-estudantes Angolanos em Cuba (Caimaneros), recebeu produtos diversos por via da governadora provincial, Deolinda Vilarinho.

Os meios eram compostos por bens alimentares não perecíveis, como água mineral,  detergentes, vestuário e outros.

Os administradores municipais do Chitato, Lázaro Celestino, Gastão Cahata (Cuango), Daniel Mutaza (Lucapa) e Silvestre Cheleca (Lubalo), incluindo a directora do Gabinete Provincial da Comunicação Social, Sónia Ferry, também se juntaram à causa solidária.

O delegado da Associação dos Ex-estudantes Angolanos em Cuba, na Lunda-Norte, Wilson Palanca destacou que em apenas um dia, a campanha superou as expectativas, a julgar pela quantidade de produtos que chegaram à portaria do Centro de Comunicação Social local.

De acordo com Wilson Palanca, a sensibilidade demonstrada pelas autoridades, comunidade empresarial e a população, revela perspectivas para arrecadação de  mais donativos, que vão apoiar o povo de Cuba.

Realçou que o apoio lançado pelo governo e Caimaneros está a permitir que várias   instituições e pessoas singulares abracem a nobre causa. "O governo  lançou  o a causa e isso está a levar várias instituições e pessoas a aderirem, por isso, consideramos que a campanha está decorrer satisfatoriamente e acreditamos que até ao dia 28, último dia da campanha, podemos ultrapassar as expectativas”, sublinhou.

A província da Lunda-Norte conta actualmente com mais de 75 quadros angolanos, formados em Cuba, em distintas áreas do saber, e neste momento, 13 estudantes bolseiros estão a ser formados.

O caimanero destacou que os angolanos que fizeram formação em Cuba, estão hoje inseridos em vários sectores. A Lunda-Norte conta também com mais de 50  profissionais cubanos, distribuídos nos municípios, entre os quais, 41 são médicos e nove professores.

Wilson Palanca reconhece que o povo cubano sempre esteve aberto e interessado em ajudar Angola nos momentos mais difíceis que passou, daí a necessidade de se retribuir com solidariedade.

A associação dos Caimaneros alerta que os donativos devem ser entregues no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), centros de produção e delegações da TPA, RNA e Angop, até ao próximo dia 28 de Outubro.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões