Política

Governo aposta na inclusão social

Jaquelino Figueiredo | Mbanza Kongo

Jornalista

O governador do Zaire, Adriano Mendes de Carvalho, exigiu, esta terça-feira, aos seis administradores municipais, maior transparência na gestão do dinheiro público, no sentido de servirem os fins para o qual foram alocados, que passam, necessariamente, pela garantia do bem-estar da população.

28/09/2022  Última atualização 08H24
Conselho de Auscultação Social acolhe linhas orientadoras © Fotografia por: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo

Adriano Mendes de Carvalho, que falava no primeiro Conselho de Auscultação Social, na cidade de Mbanza Kongo, referiu, na ocasião, que "o dinheiro disponibilizado pelo Ministério das Finanças deve servir para melhorar as estradas, o abastecimento de água potável, o fornecimento de energia eléctrica, suprir a falta de medicamentos nos hospitais, entre outros.

"Enquanto governador, vou acompanhar o trabalho, mas sem interferir", frisou, fazendo perceber aos administradores que precisa prestar contas à Procuradoria Geral da República (PGR), ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) e à Inspecção Geral de Administração do Estado (IGAE). "Temos que ter uma gestão mais transparente, trabalhando mais e comunicando melhor. Esta é a orientação do Titular do Poder Executivo”, realçou.

O governador do Zaire, Adriano Mendes de Carvalho, orientou o director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística (GEPE) a fazer chegar os projectos, para se perceber, na prática, quanto é que determinado administrador municipal vai receber, dentro de um exercício simples, para que o cidadão seja informado sobre o que está a ser feito na sua localidade.

Exortou, igualmente, os administradores e demais gestores públicos a auscultarem as preocupações da população, através de deslocações frequentes às co-munas e aldeias, mantendo contacto directo com as comunidades, para alinhar o exercício da governação  às expectativas.

"Os administradores têm que andar, ir ao interior com maior frequência, ir às comunas, sobretudo no tempo chuvoso para sentir, também, como o povo lá vive”, disse o governador. Acrescentou que, em todos os municípios, as autoridades provinciais  vão realizar palestras para explicar como é que a administração vai aplicar o dinheiro.

Adriano Mendes de Carvalho prometeu que, nos próximos Conselhos de Auscultação, vão ser explicados, principalmente aos jovens, os detalhes de programas concebidos, "uma vez que os jovens, e não só, precisam conhecer as políticas públicas e estarem por dentro da sua implementação”.

"Se os jovens querem um campo de futebol,mas a população não tem água e o hospital não tem medicamentos, é preciso dizer que a prioridade, com certeza, será o abastecimento de água potável à população”, sublinhou. Referiu que é preciso fazer perceber aos jovens por que viram adiado o sonho de ter um campo de futebol, para se evitar ruídos na relação com as autoridades.

Em relação às estradas do interior, o governador Adriano Mendes de Carvalho, esclareceu que, enquanto se aguar-da pelo processo de reabilitação e construção definitiva, acção que exige muito mais dinheiro, deve-se optar pela terraplanagem, a fim de melhorar a circulação de pessoas e bens.

 

Contrabando de combustível

O governador do Zaire Adriano Mendes de Carvalho garantiu trabalhar para se pôr cobro ao contrabando de combustível que se assiste todos os dias nos municípios da província, o qual causa prejuízos à economia local.

"Fui visitar as obras do novo hospital e, pelo caminho, deparei-me com uma bomba de combustível completamente fechada. Perante isso, questiono, como é possível a nossa província receber mais combustível que a de Luanda, onde tem mais carros, mas tem as bombas vazias sem clientes?” O governador insistiu: "Como é que o combustível aqui, na província do Zaire, não chega?” A seguir, concluiu: "Alguma coisa está mal”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política