Sociedade

Governo aposta em incubadoras de empresas sustentáveis

Alberto Quiluta

Jornalista

O Governo vai continuar a apostar em incubadoras universitárias, por ser uma estratégia que ajuda na criação e aumento de Start-ups de empresas sustentáveis para o desenvolvimento do país, assegurou o secretário de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação.

24/06/2022  Última atualização 10H35
Cidade de Luanda © Fotografia por: Edições Novembro

Domingos da Silva Neto, que falava na apresentação da parceria entre o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI), realçou que o programa de cooperação constitui um mecanismo de apoio para fomento na criação de incubadoras de empresas de base tecnológica e incentivar a formação de empreendedores.

Disse que o MESCTI e o PNUD estão a trabalhar na promoção da inovação e o empreendedorismo nas instituições angolanas de Ensino Superior. Por isso, realçou que a criação do Sistema Nacional de Inovação e Empreendedorismo está no princípio, daí a necessidade da apresentação de um diagnóstico bastante profundo para o estudo adequado.

O secretário de Estado sublinhou que, entre os objectivos da cooperação dos projectos concluídos com o PNUD, constam o Estudo de Diagnóstico Participativo sobre o Sector da Inovação e Empreendedorismo no país, assistência técnica para a criação de incubadoras universitárias, criação de uma Rede de Transferência de Tecnologia e Inovação (plataforma Inova.ao) e o Plano Estratégico das Incubadoras Universitárias.

Em relação à assistência técnica para a criação de incubadoras nas universidades Mandume ya Ndemufayo e 11 de Novembro, Domingos da Silva Neto avançou que essas instituições beneficiaram de material informático e mobiliário de suporte.

O representante da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), em Angola, Clovis Freire, lamentou que as despesas com a investigação e desenvolvimento em Angola estão entre as mais baixas do mundo e que não atingem o objectivo africano de um por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Clovis Freire, que apresentava o Estudo sobre a Inovação e Empreendedorismo em Angola, realizado entre 2020 e 2022, disse que o sistema de inovação no país se encontra numa fase embrionária.

O representante disse que a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNDECIT) pode contribuir para o avanço de projectos da ciência, tecnologia e inovação.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade