Regiões

Governador quer conclusão do troço Luquembo/Sautar em uma semana

Francisco Curihingana | Malanje

Jornalista

Insatisfeito com a qualidade das obras no troço Luquembo/Sautar, governador de Malanje, Norberto dos Santos, advertiu a empreiteira para concluir os trabalhos iniciados em Março de 2020 no prazo de uma semana.

16/08/2021  Última atualização 18H16
© Fotografia por: Francisco Curihingana

De acordo com o governante, os seis meses concedidos para a estrada de 118 quilómetros estar pronta, podendo facilitar a circulação entre a sede municipal do Luquembo e a comuna de Sautar (Quirima), já venceram e agora exige-se a correcção das falhas.

Subdivididas em dois lotes, quer as que ligam Luquemboo/Quirima (60 quilómetros), quer as da Quirima/comuna de Sautar (58 kms), as duas obras estão inscritas no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) e orçadas em 480 milhões de kwanzas.

Norberto dos Santos visitou a empreitada no último sábado e não gostou do que viu. Pelo menos, 80 por cento dela foi executada, mas, de acordo com o governador, está a ser mal feita, por falta de capacidade técnica da empresa Queirós Ribeiro.

Deixou um aviso: ou a empresa aumenta os meios técnicos para corrigir as falhas verificadas ou será rescindido o contrato. 

Enquanto isso, disse, os habitantes de Sautar vivem peripécias, provocadas pela degradação da via, facto que impõe a rápida conclusão das tarefas para facilitar a circulação de pessoas e bens.

A comuna de Sautar é rica na produção de mel e mandioca, porém as dificuldades no escoamento condiciona tudo, o forçam os produtores a fazer permuta por outros bens de primeira necessidade, embora reconheça que esta prática não favorece o seu negócio.

Justificação

Por sua vez, o responsável da empresa Queirós Ribeiro, Jaime Alexandre, justificou o atraso das obras com a existência de uma ravina de 6 metros de profundidade e 15 de largura, mas prometeu reforçar-se com meios dentro de uma semana.

Por outro lado, o governo de Malanje já rescindiu quatro contratos de obras de terraplanagem, no âmbito do PIIM, nos municípios de Marimba, Massango e Luquembo, por atrasos na execução, numa altura em que possui 131 projectos, avaliados em 26 mil milhões e 718 milhões de kwanzas. Cambundi-Catembo é o único município com obras já inauguradas (duas escolas).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões