Regiões

Governador convida empresários a comprarem produtos agrícolas

Carlos Paulino | Menongue

Jornalista

Província está a produzir grandes quantidades de cebola, alho e feijão e se não forem escoadas para mercados em várias partes do país vão se deteriorar.

18/11/2020  Última atualização 10H10
Júlio Bessa aposta na intensificação da produção agrícola em toda a província para a comercialização em vários mercados © Fotografia por: Carlos Paulino | Edições Novembro
O governador do Cuando Cubango, Júlio Bessa, convidou os empresários nacionais e expatriados interessados na aquisição de cebola, alho, feijão entre outros produtos agrícolas para se deslocarem a esta região do país, em face das enormes dificuldades dos camponeses locais para escoarem a colheita para os diversos  mercados , devido ao mau estado das vias de acesso às zonas de produção.

 Segundo Júlio Bessa, o Cuando Cubango tem disponíveis grandes quantidades de cebola , alho e  feijão produzidas nos municípios do Cuito Cuanavale, Mavinga e Cuchi,  que têm de  ser escoadas com urgência , sob pena de se deteriorarem nas zonas de cultivo.

Segundo o governador ,  os camponeses da província estão a cumprir   uma das premissas do Executivo angolano, que é a  produção em grande escala . "Agora é necessário que a classe empresarial faça também a sua parte, ajudando os camponeses a escoarem o excedente da produção do campo para as cidades”, apelou.

Júlio Bessa apelou aos ministérios do Comércio e do Planeamento  para "criarem as condições necessárias” para que os empresários a nível nacional possam comprar os referidos produtos agrícolas no Cuando Cubango.
Disse que os camponeses da comuna do Licua estimam  colher, até finais do ano em curso, 80 toneladas de alho, e os do município do Cuito Cuanavale cerca de 70 toneladas de cebola, 

 "É muita produção que o mercado local não será capaz de absorver. O nosso  objectivo é disseminar,em todo o país, e pelo mundo, a produção de cebola  do Longa, alho do Licua e feijão-frade do Tchinguanja,  produtos que nos últimos tempos estão a ser muito procurados, e existem em abundância na província do Cuando Cubango”, disse.

 Fez saber que no quadro do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) o governo local pretende adquirir alguns camiões para ajudar  os camponeses a escoarem os produtos do campo para a cidade, mas enquanto isso não acontece, "solicitamos o apoio dos empresários”.

 Júlio Bessa  atesta  que o município do Cuito Cuanavale tem produzido cebola de alta qualidade e com tamanho extraordinário , que pode ser exportada e permitir com que o país deixe de importar este produto.
 Salientou que , anteriormente, os camponeses na província estavam vocacionados apenas  para a agricultura de subsistência,  "mas hoje a realidade é outra porque a produção está virada para os mercados”,  e  precisa de ser exportada para as outras províncias.

"Por este facto, estamos a torcer que, na próxima campanha agrícola, a província surja como  um dos maiores produtores de cebola, alho, feijão-frade, milho e mandioca, para que as pessoas olhem para o Cuando Cubango de uma forma diferente , e  se convencerem que é a terra do futuro e da prosperidade no país”, admitiu.

  Jovens incentivados a participar na agricultura

Na  visita que efectuou  em  zonas produtivas  no município do Cuito Cuanavale e em Menogue, o  governador se fez acompanhar de  jovens filiados no Conselho Provincial da Juventude (CPJ), "para que  eles possam servir de incentivo aos jovens para abraçarem as actividades do campo”.

"É necessário que a nossa juventude não perca tempo em  meros actos de manifestações, tem de estar atenta às oportunidades  para  melhorar a  condição de vida”, frisou.

Segundo Júlio Bessa, o governo não tem capacidade para dar emprego a todos os jovens, mas a oportunidade de negócio é possível, porque qualquer pessoa pode comprar, por exemplo, a cebola ou outra cultura e ir revender em vários pontos da província e do país.

"Aquela ideia de que o Estado é que cria os empregos ou  faz tudo tem de acabar porque  estamos numa economia de mercado , e todos os cidadãos devem ser partícipes, principalmente os jovens”, disse, acrescentando que o CPJ e outras associações juvenis devem ser protagonistas desta revolução no Cuando Cubango, uma vez que existem condições para a criação de cooperativas de camponeses ou entidades formadas por jovens para a venda de produtos agrícolas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões