Desporto

Girabola: Cenário idêntico de incerteza registado há dezasseis anos

Amândio Clemente

Jornalista

Foi há dezasseis anos que, pela última vez, o título do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola, foi decidido na derradeira jornada. Em 2005, Sagrada Esperança e Atlético Sport Aviação (ASA) discutiam o troféu, quando estavam separados por dois pontos à entrada da 26ª jornada, com vantagem para a formação diamantífera, ao contrário do cenário actual, onde os pretendentes estão igualados na pontuação.

29/07/2021  Última atualização 08H00
Equipa da Lunda-Norte desembarca amanhã em Luanda moralizada e confiante no triunfo © Fotografia por: Contreiras Pipa | Edições Novembro
O cenário era efervescente, pois o líder da competição (52 pontos) recebia no Dundo o terceiro colocado, Petro de Luanda com 49, que também podia chegar aos 52 do opositor e frustrar a sua consagração em caso de vitória, ao passo que o ASA tinha aparentemente uma tarefa menos complicada diante do Benfica de Luanda.

Tal como se antevia, o ASA, treinado na altura pelo português Bernardino Pedroto, perseguia o quarto título consecutivo, e derrotou o Benfica de Luanda, por 1-2, mas no Dundo o Sagrada Esperança, orientado pelo angolano Mário Calado, derrotou o Petro de Luanda e sagrou-se campeão pela primeira vez no seu historial.

O treinador angolano fazia a sua segunda conquista no Girabola, com uma equipa na altura considerada de "remendos”, já que o técnico havia levado para o Dundo um naipe de jogadores oriundos de clubes da capital, destacando-se o goleador Santana, os médios ofensivos Chinho (já falecido) e Maninho Loyd, os defesas Hélder Vicente, Moisés Segundo, que se juntaram a Roque Spairi (capitão), Francisco Moniz "Frank”, Goliate, Lebolebo, Jojó, Aléx, Mbala, Andia e Marcos, entre outros obreiros do título diamantífero.

O cenário de 2005 volta a repetir-se, apesar de pequenas diferenças. Naquele longínquo ano a equipa do Sagrada Esperança fez em casa o jogo que o consagrou como campeão, ao passo que nesta edição do Girabola defronta o principal adversário na luta pelo título no reduto deste, e igualados em número de pontos, mas com a vantagem de ter vencido o desafio da primeira volta, podendo por isso empatar  e alcançar um objectivo que, aparentemente, não estava traçado no início da temporada. 

Com a consagração do Sagrada Esperança, o ASA ocupou o segundo lugar da classificação, seguido pelo Petro de Luanda e 1º de Agosto, numa época em que Petro do Huambo, Académica do Lobito e Sporting do Bié foram relegados para o escalão secundário.
A derradeira jornada do Girabola'2005 forneceu os seguintes resultados: Benfica de Luanda-ASA (1-2), Interclube-Progresso (2-2), 1º de Agosto - Desportivo da Huíla (3-1), 1º de Maio - Petro do Huambo (0-1), Sonangol do Namibe-Sporting de Cabinda (2-0) e Sagrada Esperança - Petro de Luanda (1-0).


  "Nejó” faz lançamento do jogo com diamantíferos

O técnico assistente de Mateus Agostinho "Bodunha”, na equipa principal de futebol do Petro de Luanda, Jaime Sousa e Silva "Nejó”, faz, hoje, às 9h00, a antevisão do jogo, em conferência de imprensa, visando o desafio diante do Sagrada Esperança, agendado para este sábado à tarde, no Estádio Nacional 11 de Novembro, referente à 30ª e última jornada do Girabola'2020/21.

Durante o encontro com os jornalistas, Nejó, antigo lateral tricolor e dos Palancas Negras, vai falar, certamente, do que foi preparado nas sessões de treino para este "embate” decisivo para o título.
Além do técnico assistente, a conferência de imprensa vai contar também com as presenças do 'capitão' da equipa, Job, e o médico do clube Nelson Bolivar.
Job vai falar sobre o estado anímico dos jogadores, e o médico da condição de saúde da equipa para o jogo. 

Na primeira volta, os tricolores do Eixo Viário perderam com os diamantíferos, por 0-1, no Estádio Sagrada Esperança, na cidade do Dundo.
Um resultado que a formação do Petro tem de suplantar, para levantar o 16º troféu.
Depois da conferência de imprensa, Nejó junta-se à equipa  técnica para participar da penúltima sessão de treino, antes da partida com os diamantíferos.

Como tem sido habitual, os primeiros 15 minutos da preparação contarão com  cobertura da imprensa, apenas para a captação de imagens do treino.
Amanhã, depois da última sessão de treino, o grupo entra em regime de concentração, numa unidade hoteleira da Baixa de Luanda.
Ontem, os tricolores efectuaram mais um treino no campo Osvaldo Saturnino de Oliveira, mas à porta fechada.

António Cristóvão

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto