Economia

Gestão da Fazenda Longa passa à empresa argentina

Lourenço Bule | Menongue

Jornalista

A Fazenda Agro-Industrial do Longa, situada na comuna com o mesmo nome, município do Cuito Cuanavale, província do Cuando Cubango, que ficou três anos paralisada, foi nesta segunda-feira entregue oficialmente à gestão de uma empresa Argentina Investimento E Participações (IEP) que pretende investir anualmente cerca de 25 milhões de dólares para a produção em grande escala de arroz, trigo e hortícolas diversas.

14/09/2021  Última atualização 08H17
Complexo Agro-Industrial do Longa deverá investir forte na produção de arroz e de trigo © Fotografia por: Nicolau Vasco | Edições Novembro
O acto de entrega formal da Fazenda Agro-Industrial do Longa, aos seus novos proprietários coube ao secretário de Estado do Comércio e Indústria, Amadeu Nunes, que na ocasião disse que com o relançamento da produção no referido projecto agrícola que custou aos cofres do Estado cerca de 76 milhões de dólares, o Cuando Cubango será transformado verdadeiramente em Terras do Progresso e poderá sair do marasmo em que se encontra actualmente.

Construído em 2014, o imponente empreendimento conta, actualmente, com um forno de secagem, máquinas de descasque e embalagem, três silos com capacidade para três mil toneladas de arroz, 14 pivôs de irrigação, um dormitório para 30 trabalhadores, refeitório, dois campos multiusos, entre outros serviços e equipamentos. Amadeu Nunes explicou que a Fazenda Agro-Industrial foi entregue à empresa Investimentos E Participações (IEP), no quadro do Programa de Privatizações (PROPRIV) em curso no país desde 2019 e que visa impulsionar os projectos do Executivo, aumentar a produção nacional e a criação de milhares de postos de trabalho.

Disse que a reabertura da Fazenda Agro-Industrial do Longa, trará um grande impacto económico e social para o Cuando Cubango, através do aumento da capacidade de produção de vários produtos do campo, visto que esta região do país é bastante rica em recursos hídricos e tem um grande potencial para a prática da agricultura.

Salientou que a produção nacional é uma condição "sine qua nou”, para a mudança das condições de vida de todos os angolanos, visto que o país tem todo o potencial para se tornar auto-suficiente e deixar de importar produtos alimentares que podem ser produzidos localmente.


Investimento garantido

O presidente da empresa Investimentos E Participações (IEP), Jorge Amaral, em declarações à imprensa, disse que a sua organização vai investir todos os anos cerca de 25 milhões de dólares na Fazenda Agro-Industrial do Longa, através da expansão da área de cultivo e integração de centenas de postos de trabalho directos e indirectos.

Jorge Amaral disse que o investimento na Fazenda Agro-Industrial do Longa será progressivo, à medida em que for se multiplicando todos os anos a área de cultivo que passará de cinco mil para 40 mil hectares, onde serão produzidos arroz, trigo e várias hortícolas. Salientou que a província do Cuando Cubango vai a partir de Outubro do ano em curso, elevar os níveis de desenvolvimento do sector agrícola e tornar-se auto-suficiente alimentar, através do reinício da produção agrícola na Fazenda Agro-Industrial do Longa.

Disse ter como pretensão, na presente campanha agrícola, plantar arroz em 500 hectares e arrancar o projecto de construção de uma fábrica de farinha de trigo e apoiar todas as populações vizinhas do projecto para que possam produzir batata, mandioca, alho e outros produtos que sejam adaptáveis aos solos da província do Cuando Cubango.

"Na presente campanha agrícola vamos plantar arroz em 500 hectares de terra aráveis e posteriormente será feita a plantação de trigo e hortícolas através da expansão do campo de cultivo para que o Cuando Cubango tenha um grande potencial agrícola”, disse o PCA da empresa IEP.

Jorge Amaral acrescentou que todas as famílias camponesas que vivem no perímetro da Fazenda Agro-Industrial do Longa, serão integradas na produção de hortícolas e receberão apoios como sementes, insumos e tecnologia de ponta, para que tenham auto-subsistência, possam viver da agricultura e ajudar a província para não dependerem de alimentos proveniente de outras regiões do país.

Explicou que para além da aposta na produção na Fazenda Agro-Industrial do Longa, a sua organização pretende investir no sector agrícola em outros municípios da província do Cuando Cubango, para que possam definitivamente ser auto-suficientes alimentar e serem o centro produtivo mais importante de Angola.

Disse que a Fazenda Agro-Industrial do Longa está obrigada a dar uma contribuição decisiva para a auto-suficiência alimentar da província do Cuando Cubango e do país em geral, com a produção de arroz, trigo e hortícolas.


Cooperação
O embaixador da Argentina em Angola, Alejandro Verdier, disse que o seu País está interessado em ajudar o Governo angolano, não só na venda de produtos do campo, mas também através da cooperação neste sector para que possam melhorar a produção agrícola.

Alejandro Verdier disse que o seu país tem acompanhado os esforços que o Governo do Cuando Cubango tem vindo a empreender para o desenvolvimento do sector agrícola, para que a província possa ser auto-suficiente.
Disse que o relançamento da produção agrícola na Fazenda Agro-Industrial do Longa é de extrema importância, não só para a empresa IEP que ganhou o concurso público para a sua gestão, mas também para o Governo angolano.
Mais-valia

O governador do Cuando Cubango, Júlio Bessa, disse que a reabertura da Fazenda Agro-Industrial do Longa, vai de acordo com as palavras do saudoso Presidente Agostinho Neto, segundo a qual "A agricultura é a base e a indústria o factor decisivo”, para que se possa resolver o problema da fome que assola o país e o Cuando Cubango em particular.

Júlio Bessa disse que a empresa argentina IEP é um dos maiores produtores agrícolas a nível mundial e, nesta senda, com a entrada em funcionamento na Fazenda Agro-Industrial do Longa, o Cuando Cubango estará em condições de competir com outras províncias do país.

"A província do Cuando Cubango tem as condições ideais para a prática da agricultura, com boas condições climáticas, terras aráveis e recursos hídricos em abundância", disse o governante, sublinhando que a par do relançamento da produção na Fazenda Agro-Industrial do Longa, o seu pelouro tem um projecto bastante ambicioso para o crescimento do sector agrícola.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia