Política

Germânicos destacam reformas estruturais do Presidente da República

Um colóquio organizado pela Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa destacou hoje, em Berlim, as reformas estruturais encetadas pelo Presidente da República, João Lourenço, realçando que servem de “boa base para desenvolver relações com a Alemanha”.

02/12/2022  Última atualização 22H40
Kerstin Nielsen, do Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros © Fotografia por: DR

Segundo Kerstin Nielsen, do Ministério Federal dos Negócios Estrangeiros, falando em representação do Estado de Baden-Wurttemberg, na cerimónia de encerramento dos três dias da actividade sobre "visões do futuro nos países da CPLP”, Angola mudou de paradigma desde a chegada ao poder de João Lourenço em 2017.

"Com as reformas económicas estruturais e os esforços do Governo para combater a corrupção, Angola está a tornar-se cada vez mais interessante, enquanto mercado para empresas alemãs, também pelo facto da União Europeia estar a negociar com Angola um acordo de investimento sustentável”, sublinhou.

Kerstin, que atende Angola, Moçambique e Zâmbia, na Diplomacia Federal, disse ainda que a Alemanha seguiu com maior interesse as Eleições Gerais de Agosto último e manifestou a vontade de trabalhar com o Governo em áreas importantes para ampliar a cooperação,  especialmente, económica.

Para a Alemanha, Angola oferece um potencial considerável, sobretudo, nas áreas das energias renováveis, das terras raras e na agricultura.

Por seu turno, ao discursar na mesma sessão, em videoconferência, o secretário executivo da CPLP, Zacarias da Costa, referiu que o papel da Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa, em três décadas, é dar visibilidade à África na Alemanha.

Fundada há 37 anos, a Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa trabalha na divulgação de informação e no fortalecimento das relações entre a Alemanha e as nações de expressão de língua portuguesa, com particular destaque para Angola e Moçambique.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política