Mundo

Gbagbo regressa hoje ao país

O antigo Presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, é esperado hoje à tarde em Abidjan, capital do país, quatro meses depois de ter sido completamente absolvido pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) de crimes contra a humanidade e dez anos após se ter ausentado do país para responder perante a Justiça, revelou, ontem , a AFP, citando fontes do Governo marfinense.

16/06/2021  Última atualização 05H25
TPI confirmou em Março que Laurent Gbagbo estava absolvido de todas as acusações © Fotografia por: DR
Na sua terra Natal, Mama, para onde seguirá depois de aterrar em Abidjan, Gbagbo será aguardado por uma multidão que nos últimos dias se tem atarefado nos preparativos para o  acolher.

O TPI confirmou , em Março, que Gbagbo e o seu antigo ministro Charles Ble Goude estavam absolvidos das acusações de envolvimento e responsabilidade pela violência pós-eleitoral que abalou a Costa do Marfim em 2010 e 2011.Segundo a AFP, que cita uma fonte governamental marfinense, as despesas de viagem de Gbagbo serão co-bertas pelos cofres do Estado, garantindo ainda que vão ser tomadas medidas para que tenha direito aos benefícios e subsídios concedidos aos ex-Presidentes.


Mas, nem tudo será fácil para Laurent Gbagbo que tem no seu país uma sentença pendente de 20 anos proferida à revelia por um tribunal, em Novembro de 2019, por apropriação indevida de fundos do banco central.      


Dois soldados e um polícia mortos em explosão de mina


Pelo menos dois soldados e um polícia da Costa do Marfim morreram, ontem, quando o carro que os transportava accionou uma mina, na região de Tehini, Norte do país,  que faz fronteira com o Burkina Faso, revelou o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, citado pela AFP.

A acção aconteceu menos de uma semana depois de um ataque de presumíveis jihadistas contra a localidade de Tougbo, poucos quilómetros da fronteira com o Burkina Faso, e dois dias depois da inauguração da Academia Internacional de combate ao terrorismo (AILCT), em Jacqueville, próximo de Abidjan.

Os últimos ataques no Norte da Côte d’Ivoire, junto à fronteira com o Burkina Faso,  remonta  a 29 de Março, quando rebeldes investiram contra duas posições  das Forças Armadas, em Kafolo e Koloubougo, matando seis soldados e três terroristas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo