Sociedade

Fundo de Apoio Social na Edições Novembro

Hermínio Fontes | Benguela

Jornalista

O presidente do Conselho de Administração (PCA) da Edições Novembro, Drumond Jaime, anunciou, sábado, em Benguela, que a empresa vai lançar, a 26 deste mês, dia de mais um aniversário do Jornal de Angola, um Fundo de Apoio Social aos trabalhadores.

07/06/2021  Última atualização 09H32
© Fotografia por: DR
O gestor principal da empresa proprietária dos títulos Jornal de Angola, Jornal dos Desportos, Economia e Finanças,  Metropolitano, Planalto, Ventos do Sul e Angoleme disse que o projecto surge para inverter a difícil condição financeira dos trabalhadores, agravada pela situação económica que o país atravessa. 


"O problema que o país vive também abalou, em grande medida, os nossos profissionais. Com esse fundo, temos a certeza de que poderemos atenuar a situação social que grande parte de nós vive”, reforçou o PCA da Edições Novembro.  
Drumond Jaime esclareceu que se trata de um Fundo de Apoio Social aos funcionários efectivos, que não tem nada a ver com a reforma, uma vez que a situação desses trabalhadores é tratada a nível do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS).  


Novos quadros  

Em Benguela, onde participou nas cerimónias fúnebres do jornalista Jesus Silva, sepultado sábado, no Cemitério Velho, o PCA da Edições Novembro entende, por outro lado, ser insuficiente o número de quadros na província, pelo que prometeu "reforçar a casa”.  Tendo em conta a importância económica, cultural e política de Benguela e, também, a sua densidade populacional, Drumond Jaime assegurou que, em breve, a região vai ser reforçada com quadros novos. 


"Pretendemos enquadrar jovens, para poderem iniciar a sua carreira no jornalismo angolano”, realçou o PCA da Edições Novembro, realçando que, apesar da crise financeira que o país e o mundo atravessam, nos últimos anos, a aposta é melhorar as condições de trabalho e sociais dos funcionários. 


O PCA da Edições Novembro reconhece a potencialidade jornalística que a província tem, ao destacar que Benguela é um dos principais pilares do jornalismo angolano, quer escrito (imprensa) quer radiofónico.  
"Todos sabemos que a rádio em Angola nasceu em Benguela e, em termos do jornalismo escrito, temos aqui e sempre tivemos das melhores penas do país. Esta província é, verdadeiramente, um centro do jornalismo angolano”, frisou.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade