Cultura

Fundação Arte e Cultura faz parceria com Associação Angolana de Cinema

Francisco Pedro

Jornalista

A Fundação Arte e Cultura e a Associação Angolana dos Profissionais de Cinema e Audiovisual (Aprocima) assinaram, este mês, uma parceria de trabalho destinada à exibição de filmes dos associados, criação de público e ao fomento de cursos livres, num período de 12 meses.

26/07/2021  Última atualização 08H15
Realizadores angolanos vão poder manter diálogos com o público durante o período em que estiver a acontecer o projecto © Fotografia por: DR
A parceria consiste ainda na divulgação de filmes patrimoniais quer de autores nacionais quer de cineastas africanos, sendo semanal e gratuitamente, no auditório Wiza, situado na Ilha de Luanda.
O projecto, denominado "Quartas de Cinema”, inclui a apresentação, durante três a quatro semanas de um mês, dos filmes de cada realizador, membro da Aprocima, a partir das 18h30, seguido de diálogo com os espectadores.

Além das "Quarta de Cinema”, os habitantes da Ilha de Luanda vão ter, por mês, uma sessão especial em que as famílias receberão convites para assistir um filme no projecto "Kambas do Cinema”, destinado à criação de público, para que haja o aumento da cifra de cinéfilos na cidade de Luanda, em particular na Ilha.

A directora da Fundação Arte e Cultura mostrou-se satisfeita com a parceria tendo afirmado que é mais uma oportunidade para oferecer lazer e conhecimentos aos habitantes da Ilha de Luanda. "A ideia é incentivarmos as famílias e visitantes da Ilha de Luanda a criarem o hábito de ir ao cinema”, destacou Naama Margalit.

A criação de oficinas para fomentar o surgimento de novos realizadores e demais profissionais, consta, também, da parceria assinada pela directora da Fundação Arte e Cultura e o secretário-geral da Aprocima.
As oficinas, de acordo com o documento assinado, também são gratuitas e visam atender os cursos livres para adolescentes e jovens de baixa renda, residentes ou não na Ilha de Luanda, num projecto com a designação "Futuro Cineasta”.

Segundo o secretário-geral da Aprocima, trata-se de laboratórios teórico-práticos para adolescentes e jovens, para obterem noções básicas sobre a escrita de argumento (contando uma história por meio do vídeo), como manejar uma câmara (ou telemóvel) e as funções (objectivos de um filme) do universo da sétima arte.

Fundada a 16 de Agosto de 2014, a Aprocima é apolítica, sem fins lucrativos, e goza de personalidade jurídica e autonomia administrativa e financeira. Entre os objectivos estão o de cooperar com o Estado e a sociedade para o estabelecimento e implementação de políticas de desenvolvimento do cinema e audiovisual em todas as vertentes, visando a paz e harmonia social, bem como estabelecer parceria com instituições dos países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral.

A Aprocima tem como meta a formação profissional dos associados e da sociedade em geral, voltada ao cinema e audiovisual, prestar assessoria institucional para as várias produções nacionais e  estrangeiras, realizadas, principalmente, em território nacional, bem como defender a divulgação dos hábitos e costumes nacionais, regionais e locais através das produções cinematográficas e audiovisuais angolanas realizadas em território nacional.

Além disso, é também responsabilidade da associação, promover a realização de festivais e mostras de cinema, assim como pugnar pela criação da carteira profissional dos técnicos do cinema e audiovisual nacional.


Projecto abre com filmes de Ngouabi Silva

A curta-metragem "O Plano do Rei”, do realizador Ngouabi Silva, abriu as "Quartas de Cinema”, no passado dia 14, seguida da longa-metragem, "Chaduka”, no dia 20. Esta semana vai ser exibido "A Testemunha”, às 18h30, no auditório Wiza.

"A Testemunha”, também uma curta-metragem, deu em 2020, pela performance, a distinção de Melhor Actriz para Isalina Gonçalves, na sétima edição do Festival Internacional "O Cubo de Cinema Independente em Língua Portuguesa”, que decorreu em formato online, numa organização do canal brasileiro, O Cubo.

Com a duração de 13 minutos, o filme tem no elenco Isalina Gonçalves (Amnésica), Faria João (Assassino), Constância Lopes (Chefe da Polícia) e Osvaldo Moreira (Agente da Polícia). A narrativa gravita em torno de uma jovem mulher, que acorda sem memória, em escombros sinistros e passa a percorrer o local sem ideias do que lhe pode acontecer. A medida que se recompõe chega a um surpreendente final.

O projecto prevê a publicação das sinopses em catálogo do mês impresso, com referência dos 4 filmes, incluindo a biografia do realizador e produtor, assim como a ficha técnica dos demais profissionais envolvidos na produção cinematográfica.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura