Sociedade

Fraude na Educação: SIC investiga vazamento de provas de exame da 9ª classe

Rodrigues Cambala

Jornalista

As provas da 9ª classe do ensino regular, que foram anuladas, quarta-feira, por suspeita de fraude, pelo Gabinete Provincial de Educação de Luanda, começam a ser realizadas a partir de hoje, sexta-feira, e terminam no dia 25 deste mês.

18/06/2021  Última atualização 05H35
Alunos são obrigados a ser avaliados novamente, devido à anulação dos exames já realizados © Fotografia por: Contreiras Pipa | Edições Novembro
Segundo o calendário, tornado público, ontem à tarde, os alunos vão fazer duas provas, por dia, entre as 13 horas e 16h30. O documento recomenda que os alunos e vigilantes devem estar presentes nas escolas 30 minutos antes do início dos exames.

As escolas do I ciclo do ensino secundário público e privado haviam iniciado as provas no último dia 8, mas houve um vazamento dos enunciados, elaborados a nível da Direcção Provincial de Educação, tendo estes parado em mãos de alunos, minutos antes da entrada às salas de aulas.



Em função disso, o director do Gabinete Provincial da Educação de Luanda, Narciso Benedito, revelou que a instituição efectuou uma queixa-crime ao Serviço de Investigação Criminal (SIC), que já está no encalço dos supostos funcionários que vazaram as provas a partir da reprografia.
"Tomamos conhecimento de que havia alunos que tinham acesso às provas de exame da 9ª classe na véspera da sua realização. Depois começaram a surgir evidências de que os factos estavam a ser consumados”, disse. 


Narciso Benedito confirmou que à prova de Biologia, realizada no dia 8, os alunos tiveram igualmente acesso atempadamente, tal como a fizeram em relação a de Química.  
"Apareceram evidências de que teriam sido acessadas pelos alunos antes da sua realização. Neste sentido, e perante essas evidências, não nos sobrou outra alternativa senão anular todas as provas”, avançou Narciso Benedito.


A prova de Geografia, que deveria ser realizada ontem, também esteva em posse dos alunos de diferentes escolas da província de Luanda, a partir das primeiras horas.
Por causa disso, essa prova de Geografia já não se realizou, disse, para sublinhar que os exames de Biologia, Química, Educação Laboral foram todas anuladas, igualmente.   
As três provas que faltavam, nomeadamente de Física, Língua Estrangeira e Educação Moral e Cívica, previstas para esta semana, também, tiveram de ser suspensas.


Narciso Benedito lembrou que a primeira medida foi a anulação das provas, e a segunda foi fazer uma queixa para se apurar as responsabilidades dos envolvidos na fraude.   
Ao admitir que as provas anuladas ficam sem efeito, lamentou o ocorrido, uma vez que foram gastos recursos para a elaboração das provas para 140 mil alunos da 9ª classe, que frequentam as escolas públicas e privadas.  

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade