Sociedade

França patrocina formação de doutores e mestres angolanos

Mazarino da Cunha

Jornalista

Um grupo de 21 estudantes angolanos vai beneficiar, nos próximos tempos, de cursos de doutoramento e mestrado em Engenharia de Sistemas Industriais, num patrocínio do Governo francês, anunciou, quarta-feira, em Luanda, o embaixador gaulês em Angola.

27/05/2022  Última atualização 08H35
Ministra Maria do Rosário Sambo (ao centro) quer maior reforço na cooperação com a França © Fotografia por: Luís Damião | Edições Novembro

Daniel Vosgien realçou que esses candidatos fazem parte da segunda edição de formação em Engenharia de Sistemas Industriais, sendo que alguns desses estudantes vão frequentar academias de França. 

Essa formação surge no quadro de um acordo de cooperação, iniciado entre Angola e França, em 2014, que visa a empregabilidade dos jovens angolanos. Para dinamizar esse processo, o embaixador de França em Angola revelou que o seu Governo já gastou um total de 370 mil euros para a formação em Engenharia de Sistemas Industriais de 28 mestres e doutores da Universidade Agostinho Neto. 

Daniel Vosgien, que falava na cerimónia de encerramento do primeiro ciclo de formação de mestrado de estudantes de Engenharia, que teve início, há dois anos, referiu que França quer ajudar Angola a diversificar a economia. 

O diplomata avançou que os dois países podem congratular-se pelos excelentes resultados obtidos ao longo dos dois anos de formação em Engenharia de Sistemas Industriais, daí esperar que os novos graduados possam contribuir para o progresso de Angola. 

Além de contribuir para a diversificação da economia em Angola, o embaixador Daniel Vosgien ressaltou que a formação vai permitir a introdução de um modelo pedagógico de alternância e fomentar do desenvolvimento, baseado na experimentação e sustentabilidade. 

De acordo com o embaixador francês, Angola ambiciona levar a cabo grandes reformas para acelerar a modernização do país. Para isso, precisa de recursos humanos preparados. 

Daniel Vosgien referiu que as acções deste projecto, entre Angola e França, vai responder, de forma concreta, às ambições para as futuras gerações de jovens angolanos que, também, podem beneficiá-lo. 

A ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, considerou que a referida cooperação vai permitir a elevação do perfil científico não só do estudante como também do professor. 

Maria do Rosário Sambo disse que a cooperação, além de proporcionar a formação de estudantes e professores angolanos, está a fazer com que se dinamize a instalação dos laboratórios da Faculdade de Engenharia. 

Neste âmbito, a responsável referiu que o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação tem estado a realizar acções de melhoria do perfil dos docentes e discentes e dos conteúdos académicos e científicos da Faculdade. 

Maria do Rosário Sambo convidou, por isso, no quadro dessa cooperação, o Governo francês a instalar uma Faculdade de Engenharia em Angola, para melhor acompanhar a diversificação da economia nacional. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade