Mundo

França defende preço máximo do petróleo ao nível dos países produtores

A França é a favor da fixação de um "preço máximo do petróleo" ao nível dos "países produtores" para contrariar o aumento dos preços causado pela guerra na Ucrânia, disse hoje a presidência francesa, à margem da cimeira do G7.

26/06/2022  Última atualização 14H36
© Fotografia por: DR | Arquivo

Paris não se "opõe, em princípio" à proposta dos Estados Unidos de limitar os preços, mas "o que seria muito mais poderoso para nós seria se colocássemos um preço máximo no petróleo que vem de todos os países produtores", sublinhou o Eliseu.

"É disto que precisamos para retomar a discussão com a OPEP+, e com todos os produtores de petróleo do mundo", acrescentou a presidência francesa.

Esta proposta é distinta da medida sugerida pelos Estados Unidos de um limite máximo para os preços do petróleo, que seria decidido nos países consumidores.

Esta segunda ideia será discutida pelos líderes do G7, reunidos até terça-feira no sul da Alemanha, mas várias capitais, incluindo Berlim, disseram que era uma medida complexa a implementar.

"O que precisamos de fazer no G7 é antes tentar ter um preço máximo no petróleo e, a meu ver, também no gás, para evitar ter demasiadas consequências de sanções e da situação económica global", disse uma fonte da presidência francesa.

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo