Sociedade

França aumenta oferta de bolsas de estudo

Edvaldo Lemos | Caxito

Jornalista

O embaixador de França em Angola, Daniel Vosgien, avançou, segunda-feira, em Caxito, província do Bengo, que o seu país prevê aumentar, no próximo ano, o número de bolseiros angolanos a frequentar o ensino superior em território francês, tendo sublinhado que a prioridade recairá para os técnicos médios formados pela rede de escolas do grupo Eiffel.

27/10/2021  Última atualização 09H35
Jovens estudantes poderão contar no próximo ano com mais bolsas de estudo © Fotografia por: Maria João | Edições Novembro
Daniel Vosgien, que falava durante uma visita ao Liceu Eiffel do Dande nº 397, no bairro Açucareira, explicou que, através da empresa Total Energies, fica garantido o apoio aos esforços e dedicação profissional de todos os alunos que desenvolvem vários projectos dentro das quatro escolas da rede Eiffel, em funcionamento no país.

"No próximo ano, vamos retomar o envio de bolseiros angolanos para França. Neste ano está a ser muito difícil, devido às medidas de restrições impostas pela pandemia. Vamos, portanto, apoiar a juventude de Angola, que representa, sem sombras de dúvidas, o futuro deste país”, disse.

O diplomata reconheceu a imagem positiva que a rede Eiffel apresenta, desde a sua implementação no país, em Maio de 2008, bem como o seu método pedagógico que tem ajudado nas acções de aprendizagem, quanto à dimensão e função social da instituição que dá oportunidade aos jovens, oriundos de meios desfavorecidos, se tornarem melhores cidadãos.

Na ocasião, a governadora do Bengo, Mara Quiosa, destacou os benefícios que a rede de escolas Eiffel tem desempenhado no processo de ensino e aprendizagem, numa altura em que o Executivo tem vindo a intensificar as acções com vista à melhoria da qualidade do ensino.

"Não será apenas através da prioridade atribuída à construção de mais escolas,  mas, também, garantir uma forte aposta na formação do pessoal docente, para melhorar as práticas pedagógicas por via das escolas de referência”, referiu.

A directora do Liceu Eiffel do Dande nº 397, Marcelina de Paulo, disse à imprensa que, todos os anos, a escola, com capacidade para 150 alunos, forma, em média, entre 48 e 50 técnicos médios.

Em Angola, a rede Eiffel foi fundada a 23 de Maio de 2008, fruto de um acordo de cooperação entre o Ministério da Educação, a Total Energies, Missão Laica Francesa e a Embaixada de França em Angola.

O acordo tem como objectivo implementar o ensino gratuito e de qualidade, nas línguas portuguesa e francesa, para que os jovens angolanos tenham a oportunidade de frequentar um curso superior nos mais variados domínios do saber em França.

De 2009 até agora, as escolas da Eiffel, no país, formaram mais de mil alunos, dos quais 367 estão no mercado de trabalho, sobretudo nos sectores da Educação e Saúde. Este ano lectivo estão matriculados mais de 600 alunos nos cursos de Matemática, Física, Química e Biologia.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade