Economia

Formalizado o transporte ferroviário de gás butano

A retoma do transporte ferroviário de gás butano a granel para Malanje reduz os riscos incorridos nessas operações quando realizadas por via rodoviária, bem como garante uma formação maior de “stocks” nas províncias do Cuanza-Norte, Uíge e Malanje.

13/11/2021  Última atualização 10H50
Operação da Sonangol e CFL estabiliza oferta de gás em Malanje © Fotografia por: DR
A declaração foi proferida, ontem, em Malanje, pelo presidente da Comissão Executiva da Unidade de Negócios de Gás e Energias Renováveis da Sonangol, Manuel Barros, na  assinatura dos autos de consignação do relançamento do transporte ferroviário de gás pelos Caminhos-de-Ferro de Luanda (CFL).

"A transportação de gás butano de Luanda para Malanje é, do ponto de vista logístico, de importância estratégica, na medida em que representa o cumprimento da missão empresarial da Sonangol de aumentar a disponibilização deste produto às famílias”, frisou.

O responsável acrescentou que a operação está inserida nas acções do Executivo previstas no Plano nacional de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022. Numa primeira fase, está previsto o transporte de 200 toneladas de gás por semana.

Referiu que, com isso, o fornecimento de gás de cozinha para Malanje vai aumentar, com previsões de se atingir, no pico da operação, a distribuição de 335 toneladas por semana, mais 40 por cento da actual capacidade.

Na ocasião, o presidente do Conselho de Administração dos Caminhos-de-Ferro de Luanda (CFL), Júlio Joaquim, realçou que o reestabelecimento do transporte de gás por comboio melhora o ambiente de negócios, com efeitos para o crescimento da economia nacional e de ambas as empresas do Estado.

Fez saber que para a transportação do gás, os CFL contam com 12 locomotivas do tipo GE-C30-ACI com capacidade de rebocar 1 640 toneladas cada e 12 vagões cisterna com capacidade para armazenar 23 toneladas por unidade.

O transporte de gás de comboio no traçado ferroviário Luanda-Malanje foi interrompido em 1988, devido ao conflito armado e outros factores, tendo retomado oficialmente a 19 de Setembro do corrente, 33 anos depois, mas os autos de consignação do projecto entre a Sonangol e os CFL foram assinados apenas ontem.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia