Mundo

FMI pede à China que reajuste estratégia Covid-19 para apoiar economia

JA Online

O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou hoje que a China pode sustentar o crescimento da sua economia no curto prazo se recalibrar a estratégia de "zero casos" de Covid-19, incluindo através do reforço da campanha de vacinação.

23/11/2022  Última atualização 14H03
© Fotografia por: Getty Images

Após concluir uma ronda virtual de consultas com as autoridades chinesas, o FMI elogiou a "recuperação impressionante" da economia do país asiático após o impacto inicial da pandemia, no primeiro trimestre de 2020, mas lembrou que o crescimento "abrandou e continua sob pressão".

A instituição apontou como obstáculos os repetidos surtos de Covid-19, suscitados pela altamente contagiosa variante Ómicron do novo coronavírus, os "desafios profundos" no fragilizado setor imobiliário e o abrandamento da procura a nível global, que pode afetar as exportações chinesas.

A vice-diretora-geral do FMI, Gita Gopinath, citada pela Lusa, indicou que, apesar de a estratégia "zero Covid” se ter tornado cada vez mais ágil, as mutações mais contagiosas do vírus e as "lacunas contínuas" nas campanhas de vacinação - sobretudo entre os idosos - têm resultado em confinamentos mais frequentes, pesando assim no consumo e investimento privado.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo