Economia

FMI confiante nas reformas de Angola

Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou esta quinta-feira (21) que é preciso "dar crédito a Angola" por ter continuado a implementar as reformas apesar das dificuldades, e acrescentou que brevemente os esforços darão frutos.

21/10/2021  Última atualização 13H59
© Fotografia por: DR

De acordo com director do departamento africano do FMI, Abebe Selassie, "quando o programa de ajustamento financeiro começou, em 2018, ninguém antecipava a pandemia e as terríveis consequências que teria, mas em termos das reformas de que o país precisava, Angola merece muito crédito por ter persistido apesar do terrível custo da pandemia no seu povo e na economia, incluindo a grande queda do petróleo do último ano e meio", disse.

No final da apresentação do relatório sobre as Perspectivas Económicas para a África subsaariana, Abebe Selassie explicou que "apesar deste choque monumental, as autoridades angolanas perseveraram nas reformas e estão a conseguir ultrapassar as dificuldades, dando passos significativos para reduzir os desequilíbrios macroeconómicos e posicionar o país para beneficiar da recuperação do preço do petróleo", a maior fonte de receitas.

"O crescimento continua fraco, a terceira vaga foi particularmente severa, e não antecipámos isso na nossa previsão, e foi por isso que revimos o crescimento em baixa", afirmou Selassie citado pela Lusa.

O responsável sublinhou ainda que "se a pandemia se desvanecer e a recuperação económica mundial continuar, o FMI está muito confiante que Angola vai beneficiar dos frutos de todas as reformas que fez nos últimos dois anos, incluindo na melhoria da transparência da gestão das finanças públicas, e no sector financeiro".

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia