Cultura

Festival Internacional de Teatro arrancou ontem na província do Uíge

Gil Vieira

Jornalista

A 10ª edição do Festival Internacional de Teatro do Uíge arrancou na noite de ontem, no Cine Ginásio, um dos locais emblemáticos da cidade, com uma gala de abertura, que contou com a presença de directores, actores e encenadores dos grupos participantes.

08/06/2024  Última atualização 13H05
Projecto Fofarte da província de Luanda vai apresentar a peça de teatro “De Olhos Fechados” © Fotografia por: DR

No festival, que vai até 7 de Julho, em alusão ao 107º aniversário da elevação do Uíge à categoria de cidade, que se vai assinalar a 1 de Julho, participam grupos de teatro do Uíge, Luanda, Huíla, Lunda-Norte, Cuanza-Norte, Cuanza-Sul, Malanje, Bengo e Cuando Cubango.

Do estrangeiro foram convidados grupos de teatro de Moçambique, Cabo Verde e da vizinha República Democrática do Congo (RDC).

As apresentações dos grupos de teatro começam hoje, às 20h15, com a actuação de um colectivo proveniente da província de Luanda. Trata-se do Projecto Fofarte, que vai apresentar a peça "De Olhos Fechados".

Amanhã, apresentam-se as agremiações da província anfitriã. O grupo MZ Teatro abre com a peça "Arrependo-me por Ter Casado”, e a seguir sobe ao palco o Colectivo de Artes N'zoji Yeto, com a peça "Tal Pai, Tal Mãe”, com a primeira sessão a ter início às 19h15 e a segunda às 20h15.

Na segunda-feira, às 10h00, o festival vai proporcionar aos grupos participantes um momento de aprendizagem, com uma palestra sobre "O Papel do Teatro como Instrumento de Reeducação Social”.

O organizador do evento, Domingos Nicolau, explicou ao Jornal de Angola que o Festival Internacional do Uíge tem como objectivos principais a promoção e massificação das artes de re- presentar na província do Uíge, divulgação fora de portas do produto artístico dos grupos, núcleos e companhias de teatro locais, proporcionar oportunidades de formação, intercâmbio e troca de experiências, bem como contribuir para o desenvolvimento desta manifestação cultural entre os jovens.

O interlocutor do Jornal de Angola disse que, além dos objectivos apontados, se pretende, igualmente, a união da classe em prol do desenvolvimento e promoção da imagem da região e do turismo local por intermédio do teatro e, também, apelar a uma profunda reflexão sobre a importância do teatro no processo de desenvolvimento do país e a sua mais-valia no resgate dos valores culturais, morais e éticos.

O Festival Internacional do Uíge foi projectado pelo actor, bailarino, dramaturgo, director e encenador Domingos Nicolau, em 2010, e começou a ser executado em 2012.

A fraca promoção do teatro na região, as poucas oportunidades concedidas aos grupos que estão no anonimato, bem como as poucas opções para os jovens se divertirem nos tempos livres, foram os factores que motivaram Domingos Nicolau a criar o festival.

 

Tributo prestado ao teatro durante quatro décadas

O Festival Internacional de Teatro do Uíge (Festeauíge), que arrancou na noite de ontem, no Cine Ginásio, homenageia o actor Manuel Teixeira, mais conhecido por "Avô Ngola”.

Segundo o director do festival, Domingos Nicolau, escolheu-se Manuel Teixeira como o homenageado desta 10ª edição pelo contributo que tem prestado há mais de 40 anos ao teatro angolano.

Domingos Nicolau afirmou que a história do teatro angolano regista, ano após ano, figuras e personagens emblemáticas, e uma dessas personalidades é, sem sombra de dúvidas, Manuel Teixeira.

"Reconhece-se um artista através das suas obras, então a organização decidiu honrar o trabalho de Avô Ngola, que impacta a vida de milhares de angolanas e angolanos”, sublinhou.

O director do festival, que decorre sob o lema "Pela Unidade da Classe e Pelo Desenvolvimento da Cultura”,  disse, igualmente, ser uma iniciativa que visa mostrar à nova geração de artistas a importância de Avô Ngola dentro do teatro nacional.

Segundo Domingos Nicolau, existem muitos grandes artistas que dão o melhor de si pelas artes, mas lamentavelmente depois são esquecidos, como se não tivessem feitos marcantes no engrandecimento das nossas manifestações culturais. "Então, com este pequeno gesto pretendemos exaltar e valorizar os feitos de Avô Ngola em prol do teatro, almejando com isso eternizar a sua imagem para as futuras gerações”, destacou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura