Cultura

Festival de Música Tradicional promove intercâmbio regional

Manuel Albano

Jornalista

A primeira edição do Festival de música tradicional, denominado “Corredor do Kwanza”, que visa a promoção e a valorização do folclore nacional, principalmente da região Norte do país, realiza-se na sexta-feira, às 15h00, no largo de Nossa Senhora da Muxima, na vila-sede com o mesmo nome.

30/06/2021  Última atualização 07H55
Baló Januário, um dos grandes mentores e promotores do estilo folclore, é um dos convidados © Fotografia por: José Soares | Edições Novembro
Sob o lema "Nas margens do Kwanza, no reencontro dos nossos hábitos, costumes, ritmos e tradições”, o festival está inserido nas festividades do 83º aniversário da Quissama, a ser assinalados no dia 2 de Julho, desde que foi elevado à categoria de município em 1938.



Considerado o "município do futuro”, a Quissama, que conta com um Parque Nacional com o mesmo nome e um Pólo de Desenvolvimento Turístico, localizado na comuna de Cabo Ledo, vai receber um dos maiores festivais de divulgação dos mais variados estilos musicais tradicionais, com pouca expressão nas grandes cidades, mas de grande valor simbólico e sociocultural nas zonas rurais.


Fazem parte do elenco artístico os músicos Baló Januário, Zanga Maka, Titi Neusa, Macaxi, Dimbila, Big Bang, Sebastian, Sondoca, Original Coopera, Say Say, Sabor, Mário Sumbo, Grupo da Njimba, todos da região da Quissama. O grupo tradicional Akamba Vanene do Bié, Kumbi Lixia e Dueto XP do Mussende do Cuanza Sul, Miguel Zau "Mig” e Bala Bala vão representar o Belas, enquanto Disbunda, Amados de Ambaca, Tinho Amado representa a província do Cuanza-Norte.

Foram igualmente convidados um dos maiores grupos de danças tradicionais do país, o Tunjila Twá Jikota e TX de Cangandala, da província de Malanje. O Ballet de Catete e o músico Pack dos Santos representam o Icolo e Bengo. O grupo Vozes do Nambwa vai em representação da província do Bengo, enquanto o grupo carnavalesco Viveiros do Njinga Mbandi, estão em defesa do município satélite de Viana.

Unificação
Um dos grandes mentores e promotores do estilo folclore no país é o músico Baló Januário. Com uma carreira consolidada e sucessos com recurso a capacidade criativa espontânea, Baló Januário disse, ontem, ao Jornal de Angola, que a realização do festival vem dignificar a música folclórica e unir os povos da região.

O festival "Corredor do Kwanza”, explicou, surge num momento oportuno para o resgate de hábitos esquecidos na valorização do tradicional, criando aproximação entre culturas. "Este festival vai provar que o país tem dados passos positivos na valorização e pacificação das classes sociais, afastando o tribalismo que divide povos e culturas”, observou.

Na sua visão, o festival acaba por ser um contributo de unificação dos povos e uma porta aberta para a troca de experiências no domínio artístico, unindo culturas diferentes. "Apesar do novo normal que vivemos por culpa da pandemia da Covid-19, não deixaremos de partilhar momentos de alegria e ajudar a preservar ritmos em vias de desaparecer”.
Baló Januário anunciou, igualmente, o lançamento do projecto discográfico "Vozes da Quissama”, marcado para sexta-feira, às 8h00, na Praça da Independência, em Luanda, do qual é o produtor e director artístico.

O disco, disse, tem 12 temas apenas com músicas tradicionais e privilegia estilos como sambalage, catutula, cabecinha e ngaieta. Fazem parte do disco os cantores Titi Neusa, Borges Mutonda, Dimbila, Original Coopera, Big Bang, Zanga Maka e o próprio Baló Januário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura