Cultura

Festival da Lusofonia abre hoje na Expo Dubai 2020

António Bequengue

Jornalista

O palco do Isha Prayer Time, na Expo Dubai 2020, será transformado a partir de hoje, às 19h30, e durante três dias, na capital da música dos países de língua portuguesa, ao acolher o Festival da Lusofonia, sob coordenação de Angola e Portugal.

13/10/2021  Última atualização 06H00
Calabeto é uma das estrelas nacionais que vai “brilhar” no palco do Isha Prayer Time © Fotografia por: Paulo Mulaza | Edições Novembro
Durante três dias artistas dos países de língua portuguesa apresentarão espectáculos de música e dança, que se vão juntar às artes plásticas, na Exposição Internacional do Dubai, que decorre de 1 de Outubro a 31 de Março de 2022.

Angola tem como destaque nomes como Ary, Calabeto, Daniel Nascimento, Marília Alberto, Nanutu e Nelo Carvalho, assim como elenco artístico residente no pavilhão de Angola na Expo Dubai, nomeadamente a banda Ngola, o Duo Angola Classical, Gelson Castro, Heróide, Kina ku Moxi e Sara Saka.

A caravana artística nacional inclui os artistas plásticos Guilherme Mampuya e Andreia Gambôa, que irão participar no festival com a feitura de quadros de pintura durante os shows e apresentá-los no final de cada dia de actividade.

Pelo palco do Isha Prayer Time, durante os três dias de festival, vão desfilar, igualmente, o cabo-verdiano, radicado em Lisboa, Tito Paris, o grupo vocal feminino português Sopa de Pedra e o fadista Marco Rodrigues, o grupo de Danças Ocultas, de Portugal, o General João Seria e o duo Filipe Santo & Olinda Beja, de São Tomé e Príncipe, Jomalu, de Moçambique, o trio Guiné-Bissau, formado por Patchi Di Rima, Rui Sangará e Atanásio Hatchuen, e a banda Cores de Aidê, do Brasil.

O director de Eventos do pavilhão de Angola na Expo Dubai, Kayaya Júnior, garantiu que a participação angolana neste festival irá reforçar o princípio da irmandade e fraternidade entre os países de Língua Portuguesa, homenageando, igualmente, os 25 anos da  Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, no ano em que Angola assume a presidência.

O Festival da Lusofonia, disse, é mais um contributo para a divulgação deste idioma, aparentemente desconhecido, mas falado na Europa, África, América e Ásia, constituindo verdadeiras pontes de união entre estes povos.

"A Língua Portuguesa tem sido um factor de unidade nos países onde é adoptada como língua oficial, independentemente dos diferentes idiomas nacionais já existentes e que continuam a desenvolver-se como um excelente património cultural”, disse Kayaya Júnior.
Um total de 192 países e dezenas de organizações e instituições internacionais participam na Expo, que decorre sob o tema geral "Conectando Mentes, Criando o Futuro”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura