Cultura

Fernando Vicente deixa um vazio irreparável

O ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, mostrou-se consternado com o falecimento do baterista, Fernando Miguel Vicente, “Juca Vicente”, ocorrido, hoje, vítima de doença.

13/10/2021  Última atualização 21H17
© Fotografia por: CEDIDA

Em mensagem de condolências, Jomo Fortunato referiu que o baterista é proveniente dos denominados conjuntos de Música Moderna.

"Juca Batera como também era conhecido no meio artístico, começou na percussão, bongós, no conjunto, África Ritmos, no início dos anos 70, passou pelo Kissanguela, Kiezos, Semba África, Banda Weliwítschia, Banda Xangola, com Carlitos Vieira Dias, Kimbambas do Ritmo e Banda Mizangala DT, de Dulce Trindade”, destacou.

Fernando Miguel Vicente nasceu no dia 23 Fevereiro de 1955, e a crítica mais exigente, considera-o ímpar na execução rítmica do Semba.

"O seu desaparecimento físico deixa um vazio irreparável no seio da classe musical e dos históricos da percussão da Música Popular Angolana”, sublinhou o ministro.

Nesta hora de enorme tristeza, diz a nota, o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente endereça à família enlutada os mais profundos sentimentos de pesar.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura