Economia

“Feira é uma oportunidade para se fazer negócios”

Angola faz um balanço positivo à participação empresarial e institucional na II Edição da Feira do Comércio Intra-Africano - IATF 2021, que a cidade sul africana de Durban acolheu, de 15 a 21, por se tratar de uma oportunidade para fazerem-se bons negócios, segundo o secretário de Estado para o Comércio.

22/11/2021  Última atualização 09H44
Balanço da presença angolana em Durban mostra intensa jornada de contactos e cooperação © Fotografia por: DR
Amadeu Nunes reiterou ser preponderante aproveitarem-se os vários contactos e experiências colhidas do certame para que o país atraia investimentos e cumpra com os principais desafios da sua estratégia de diversificação.

"Estamos bem representados, como se pode ver. O Ministério dos Transportes veio com uma grande delegação e de bastante peso, pois incluiu, além da aviação, os transportes ferroviários. Há também bancos, afinal a Feira é para fazer negócios”, disse.

Durante uma das várias visitas que fez pelos 30 stand de Angola, Amadeu Nunes e Nuno Caldas Albino, secretário de Estado para a Comunicação Social, reforçaram aos expositores a necessidade destes servirem de veículos a atracção de parceiros para novos investimentos no país.


Negócios privados
Um exemplo sobre como a Feira de Durban também serviu para apoiar os privados é da operadora Kubinga.
A Kubinga, empresa angolana de táxi personalizado, encontrou na Feira Comercial Intra-Africana (IAFT2021) um parceiro que manifestou forte interesse de investir na transportadora. Trata-se da empresa de direito sul-africano "Loita Capital Partners”, cujo responsável, Allan Musona, manteve contacto de negócio com o director executivo da Kubinga, Emerson Paim, a partir do qual solicitou informação pormenorizada sobre a empresa angolana.

Emerson Paim disse à Angop, em Durban, que enviou um acordo de partilha de informação e restrição à parte interessada, a fim de garantir que os dados da Kubinga não sejam usados de forma fraudulenta.

Depois do acordo ou me-morando de partilha de informação e restrição enviado (por correio) ao potencial investidor, partir-se-á para o processo de negociação e definição de detalhes.

"Nós ainda não negociamos. Tivemos uma primeira conversa e nesse momento estou a escrever um e-mail sobre um acordo de partilha de informação e restrição para entregar ao potencial investidor”, disse Emerson Paim.

Por outra, o Fórum de Comércio Intra-Africano serviu, também, para no penúltimo dia, serem assinados acordos de financiamento entre quatro (4) empresas africanas e o Banco Africano de Exportação e Importação (Afreximbank), no valor de 1,2 mil milhões de dólares. Além das quatro empresas, o Afreximbank assinou, também, um Memorando de Entendimento, com a Agência de Desenvolvimento da União Africana (AUDA-NEPAD).


Como garantiu na abertura do evento, o banco patrocinador da bolsa de negócios entre africanos, está disponível uma carteira de investimentos para projectos com mais de USD 40 mil milhões.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia