Economia

Fazenda do Cuanza-Norte produz 30 mil toneladas de cereais por ano

Marcelo Manuel | Ndalatando

Jornalista

Uma fazenda de capitais públicos com capacidade de produzir 30 mil toneladas de soja, feijão e milho por ano foi inaugurada, , na comuna de Samba-Lucala, Samba-Cajú, no Cuanza-Norte, depois de absorver um investimento de 54 milhões de dólares.

25/11/2022  Última atualização 09H15
Momento da inauguração da fazenda pelo ministro da Agricultura e Florestas (ao centro) © Fotografia por: Nilo Mateus | Edições Novembro | Ndalatando
A Fazenda Samba-Lucala, inaugurada pelo ministro da Agricultura e Florestas, Francisco Assis, tem uma área total de 10 mil hectares, mas apenas cerca de dois mil metros quadrados estão cultivados com  milho e soja, com uma área de 1.300 hectares mantida sob irrigação por 23 sistemas de pivôs.

Até 2020, todo o cultivo era realizado por água da chuva, mas, em 2021, a construção de uma barragem e um reservatório na fazenda viabilizou a aplicação de um sistema de irrigação que torna a fazenda mais produtiva.

O projecto tem uma mini-hídrica com 490 metros de comprimento, 18 metros de altura,seis de largura e capacidade de armazenar mais de dois milhões de metros cúbicos de água, protegido por um volume de terra de 300 mil metros cúbicos.

O projecto inclui um centro logístico com todas as instalações necessárias para produção, incluindo silos de grãos equipados com secadores, armazéns, garagem, escritório, residências para a direcção e técnicos, refeitório, bem como sistemas de água e energia.

Os silos de armazenagem possuem uma capacidade de stock de oito mil toneladas, com os grãos aprovisionados em condições óptimas para a venda a granel ou em sacos.

Está prevista, para breve, a ligação do empreendimento à  rede eléctrica nacional.

Produção actual ronda as cinco mil toneladas de soja, igual quantidade de  20 mil de milho, com as operações de produção a envolverem a criação de 67 postos de trabalho. Cerca de 10 por cento da produção agrícola anual é vendida ao Governo de Angola.

 Aposta sofisticada

O ministro da Agricultura e Florestas considerou que, do ponto de vista agrícola, o projecto "é um dos mais modernos que se pode ver no mundo, a nível da cultura de cereais”.

As operações caracterizam-se pela introdução de métodos de cultivo avançados que levam ao aumento da disponibilidade de milho e soja produzidos, oferta de emprego na área do projecto e a possibilidade de desenvolvimento de outras explorações agrícolas na região.

O ministro insistiu, ao falar durante o acto de inauguração, que a fazenda é uma forte  aposta do Executivo no combate à fome e à pobreza em Angola, com implicações na redução das importações a nível nacional.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia