Economia

Fabrimetal inaugura nova linha de montagem

Ana Paulo

Jornalista

A terceira linha de montagem da Fabrimetal é inaugurada hoje, no Pólo Industrial de Viana, em Luanda, no âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

12/10/2020  Última atualização 11H00
DR © Fotografia por: Produção de aço traz valor acrescentado à indústria nacional e maior resposta pela demanda

O ministro de Estado e da Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, preside ao acto inaugural.

A siderúrgica tem um custo global da empreitada a rondar os 21 milhões de dólares, para garantir a produção de laminação a quente de barras, perfis, cantoneiras e varões de aço.

Segundo dados a que o Jornal de Angola teve acesso, o reinvestimento da fábrica vai aportar uma capacidade instalada de 90 mil toneladas por ano.

Por encontrar-se já numa fase de testes e formação do pessoal, pese embora ainda não ter chegado algumas ferramentas específicas, a linha a inaugurar entrará em produção efectiva a partir do próximo dia 15, no caso quinta-feira.

Com esta inauguração, a indústria de produção de perfis de aço reforça os benefícios deste segmento para a economia nacional, enquanto produtor de varão de aço e produtos complementares, nomeadamente barras, cantoneiras e perfis, elementos ainda não produzidos no país. É expectável que depois de produzidos, estes vão contribuir, significativamente, na aceleração do processo de diversificação económica em curso e consequente redução das importações.

Por outro lado, a linha de montagem da Fabrimetal irá contribuir para o aumento da entrada de divisas no país, uma vez que pretende também exportar até 25 por cento da sua produção para os países limítrofes, nomeadamente , para a República Democrática do Congo, Namíbia, Zâmbia, Ghana, Senegal, Mali e outros.
A exportação da produção, bem como a garantia da oferta plena no mercado nacional são as grandes apostas para o curto e médio prazos.

Com a implementação da indústria, o sector prevê criar cerca de 677 postos de trabalho, dos quais 555 para nacionais e 122 aos expatriados. Numa primeira fase, a fábrica deverá contar com 455 colaboradores nacionais e 107 estrangeiros.

Integrando o Grupo Empresarial MMD Steel, com uma década de experiência na indústria, proveniente da instalação de uma rede de fábricas de aço na África subsaariana, em Angola, República Democrática do Congo, Rwanda, Mali, Ghana, Burkina Faso, Senegal e com um conhecimento profundo do negócio, a Fabrimetal diz reunir as melhores condições para dar resposta à procura crescente de varões de aço. Cada vez mais presente nos principais mercados e integrando-se sistematicamente nos mercados locais, a empresa iniciou a produção comercial de varões, em Angola, em Novembro de 2010.

Em face disso, diz contribuir para o rápido desenvolvimento das infra-estruturas do país, com a eliminação da dependência às importações de varões. Apoia a crescente indústria da construção civil, reduz a poluição ambiental, e cria emprego para os angolanos.

“A proliferação industrial na zona do Pólo Industrial de Viana impulsionou a economia local, criando as condições para que, hoje, mais de 500 angolanos estejam envolvidos na produção de varões. A Fabrimetal orgulha-se em recrutar e formar trabalhadores locais, contribuindo para o aumento da estabilidade financeira de muitas famílias, fomentando um enorme sentido de orgulho na produção doméstica e continua a desenvolver planos de expansão, para a empresa e para a equipa”, diz em nota de apresentação.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia