Economia

Expositores abordam sobre facilidades das exportações

Os empresários de outros países presentes na II Edição da Feira Intra-Africana do Comércio (IATF/ 2021), que decorre em Durban, na África do Sul, desde o dia 15, aproveitaram os dois dias que antecederam o encerramento do evento para tomar conhecimento sobre o processo e facilidades de importação e exportação em Angola.

21/11/2021  Última atualização 09H00
Directora nacional do Comércio Externo no encontro com investidores interessados no país © Fotografia por: DR
A directora nacional do Comércio Externo, Augusta Fortes, manteve encontros com vários interessados, aos quais explicou detalhadamente o Relatório sobre a Diversificação das Exportações, um estudo conjunto realizado pelo Ministério da Indústria e Comércio e o Banco de Desenvolvimento Africano (BAD).


Augusta Fortes aproveitou o momento para, de igual modo, responder a dúvidas de potenciais investidores e a par do que tem feito no certame a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX), mostrou as vantagens e toda uma legislação protectiva aos investidores externos, além de incentivos por cada zona de investimento.


Na Feira Comercial Intra-Africana (IATF/2021), que hoje termina, Angola faz-se presente com uma delegação multissectorial composta entre  empresários, instituições bancárias e distintas associações empresariais. A comitiva é chefiada pelo  Secretário de Estado para o Comércio, Amadeu Leitão Nunes, e integra ainda o secretário de Estado da Comunicação Social, Nuno Caldas Albino.


Ao longo dos sete dias de exposição, os empresários e autoridades do Governo de Angola procuraram tirar o maior proveito das oportunidades de negócios que existem no continente. A diplomacia económica foi bastante acutilante, tendo recebido, no certame, várias manifestações de interesse.


Indústria criativa

A indústria criativa de África representa um instrumento poderoso que pode aumentar o PIB dos países do continente e tirar a juventude da pobreza, segundo Benedict Oramah, presidente do Banco Africano de Exportação de Importações (Afreximbank).


No evento dedicado à criatividade, Benedict Oramah disse que essa indústria tem o poder de "catalisar o comércio intra-africano, criar milhões de empregos para a população jovem do continente e promover o surgimento de cadeias de valor nacionais e regionais”.


Ao saudar o poder dos criativos para estimular o desenvolvimento industrial, o gestor fez saber que o Afreximbank instituiu o programa CANEX para apoiar as indústrias criativas e culturais de África de uma forma que revolucionaria os talentos inexplorados do continente.
"A indústria criativa é um mercado financiável. Estamos aqui para garantir o apoio contínuo do Afreximbank à economia criativa", declarou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia