Economia

Exportadas nove mil toneladas de pescado

O sector das Pescas exportou, em 2019, mais de nove mil toneladas de pescado, por três milhões de dólares, revela a “Análise das exportações dos produtos da pesca, derivados e importações”, o documento das Pescas e do Mar, ao qual o Jornal de Angola teve acesso.

24/12/2019  Última atualização 13H58
DR

O documento, apresentado sexta-feira no II Conselho Consultivo do Ministério das Pescas e do Mar, declara que as exportações foram dirigidas a nove países, designadamente Espanha, Japão, Taiwan, China, Nigéria, Chile, Coreia do Sul, Vietname e África do Sul. 

A Espanha lidera a lista das exportações angolanas de pescado, com 7.771 toneladas, seguida pelo Japão, com 320 toneladas, Taiwan, com 300 toneladas, China, 206, Nigéria, 162, e os restantes países com muito menos.
O Japão lidera o valor das transacções, com um montante de 617.600 dólares, seguido pela Nigéria (271.736 dólares), Coreia do Sul (266.529), Taiwan (255 mil) e Vietname (124.350).
As exportações para a Espanha e a China foram dominadas pelo camarão e caranguejo, com 7.977.97 toneladas, de acordo com o documento.
Sessenta empresas participaram nas remessas de pescado para o estrangeiro, numa lista em que figuram a Angolizar Comércio, Zahara Comércio - SA, Angonabeiro Comércio Geral, Alimenta Angola, Grupo Nurimar, Casa dos Frescos, SFT, Cabinda e SFT Angola, Mercado Frescos de Angola, Mafcom Angola, Mercadão Mangolé, Newaco Grupo, Esalmar e Riberalves Angola.
Essas mesmas empresas também participaram em negócios de importação de pescado (geralmente permitida em períodos de veda decretados pelo Ministério das Pescas e do Mar), com a SFT Angola a comprar 11.644 toneladas no exterior, correspondentes a 39 por cento do total, SFT de Cabinda, com 3.215 toneladas (11), Mafcom com 4,00 por cento e as restantes empresas com menos dessa percentagem.
Dez variedades estão incluídas entre o pescado importado, contando-se o carapau, conserva em lata, macaiabu, bacalhau, cacusso, marisco (polvos, lulas, chocos) e derivados. As importações mais significativas provieram da Mauritânia, Portugal, Chile, Vietname, Indonésia, Marrocos, África do Sul, China, Noruega, Índia, Argentina, Estados Unidos, Tailândia, Brasil, Argentina, Canadá, Uruguai, França, Dubai, Moçambique e Rússia.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia