Política

Exéquias de José Eduardo dos Santos iniciam hoje com homenagens públicas

César Esteves

Jornalista

A cerimónia fúnebre do ex- Presidente da República, José Eduardo dos Santos, falecido no dia oito de Julho, em Barcelona, Reino de Espanha, por doença, inicia, hoje, com a realização de homenagens públicas, na Praça da República, em Luanda, e termina domingo, no mesmo local, com o funeral de Estado.

27/08/2022  Última atualização 09H35
© Fotografia por: Paulo Mulaza | Edições Novembro

De acordo com o programa das exéquias, aprovado, ontem, pela Comissão Multissectorial, criada para este fim, pelo Presidente da República, João Lourenço, a cerimónia terá início esta manhã, às 7 horas, com a retirada da urna da residência do ex-estadista angolano, no bairro Miramar, com honras militares reduzidas, para a viatura fúnebre.

O porta-voz da Comissão Multissectorial para a realização das exéquias, o ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, fez saber que, depois da residência, vai começar o cortejo fúnebre, de marcha lenta, passando por algumas artérias da cidade de Luanda até chegar à Praça da República, que abre os portões ao público, às 6 horas.

O cortejo fúnebre do ex- Presidente da República passa, segundo o itinerário, pela rua Cónego Manuel das Neves, Eixo Viário (Largo do Ambiente), Avenida 4 de Fevereiro, também conhecida como Marginal. No Largo da Moeda, neste ponto, deve se juntar a cavalaria, que se posiciona à frente, guiando o cortejo.

Da Fortaleza até à Praça da República, está prevista a passagem por duas alas da guarda de honra. À chegada, prevista para as 9 horas, a urna será transportada, em marcha lenta, por militares (oficiais superiores) até à tenda preparada no local para a cerimónia, observando-se honras militares completas. A seguir, terão lugar as homenagens, a ser prestadas pela população.

 Funeral de Estado

O funeral de Estado acontece amanhã (28 de Agosto), dia de aniversário de José Eduardo dos Santos, com a chegada à Praça da República, a partir das 8h00, da Comissão Multissectorial das Exéquias, de membros do secretariado do Bureau Político do MPLA, Executivo, Procurador Geral da República e de órgãos de soberania e da família.

Devem chegar, igualmente, neste momento, Chefes de Estado e de Governo estrangeiros ou seus representantes, corpo diplomático acreditado em Angola e, por fim, o Presidente da República, João Lourenço, que, de acordo com o programa, far-se-á acompanhar da Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço.

O ministro Marcy Lopes disse que o programa reserva, para este dia, honras militares, música lírica, leitura de mensagens, nomeadamente do Estado angolano, da família, do MPLA, da Fundação José Eduardo dos Santos (FESA) e a leitura do elogio fúnebre. O porta-voz da Comissão Multissectorial para a Organização das Exéquias disse estar, ainda, previsto a realização de um culto ecuménico, com cerca de 20 minutos, e, a seguir, música com dois grupos corais das Igrejas Católica e Metodista. "Haverá, de seguida, deposição de coroa de flores por parte do Presidente da República, João Lourenço, e cumprimentos à família”, realçou o ministro.

 Deposição da urna no jazigo

O ministro Marcy Lopes deu a conhecer que, depois deste momento, vai começar a cerimónia para a colocação da urna no jazigo, que será restrita aos familiares de José Eduardo dos Santos, ao Presidente da República, à Primeira-Dama, aos órgãos de soberania, à Comissão Multissetorial, ao secretariado do Bureau Político do MPLA e aos membros de Conselho de Honra do MPLA. O porta-voz da Comissão Multissectorial para a Organização das Exéquias disse que este momento será marcado por 21 salvas de canhão, sobrevoo honorífico de aeronaves da Forças Aérea Nacional e manobras de embarcações da Marinha de Guerra Angolana, na Baía da Chicala. 

 Cerimónia fúnebre com mais de 20 delegações estrangeiras


O porta-voz da comissão, Marcy Lopes, disse que está previsto a chegada ao país, para participar da cerimónia fúnebre do antigo Presidente da República, 21 delegações estrangeiras, representadas aos mais alto nível. Entre estas, continuou, constam delegações da Tanzânia, Cuba, República Árabe Saaraui Democrática, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Moçambique, Guiné-Bissau, Zimbabwe, Portugal, Rwanda, Guiné Equatorial, Gabão, República Argelina Democrática e Popular e Namíbia.

Deste grosso, disse, vão fazer, igualmente, parte delegações do Timor Leste, República Democrática do Congo (RDC), República do Congo, África do Sul e República da Zâmbia. "São estas as delegações dos países que confirmaram presença para a cerimónia fúnebre do Presidente José Eduardo dos Santos”, pontualizou o ministro Marcy Lopes.

O Jornal de Angola sabe que já começaram a chegar ao país algumas dessas delegações estrangeiras. A Praça da República, local onde vai decorrer a cerimónia fúnebre, já tem praticamente  o cenário montado para o evento. Pelo número de cadeiras preparadas, dá para concluir que o evento vai receber um número considerável de pessoas.

O corpo de José Eduardo dos Santos chegou de Barcelona para Luanda no dia 20 deste mês. A aeronave da TAAG, que transportou a urna, a viúva, os filhos do casal e outros membros da família, fez-se à pista do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro por volta das 19 horas, tal como o previsto no programa. No local, a família foi recebida por uma delegação composta por vários membros do Executivo.

Entre os membros do Executivo presentes no aeroporto, destaca-se o ministro de Estado e chefe da Casa Militar do Presidente da República, general Francisco Pereira Furtado, que esteve à frente da delegação que seguiu de perto o processo ligado à trasladação do corpo de Barcelona para Luanda. Depois da retirada da aeronave, a urna seguiu para a residência do malogrado, no bairro Miramar, num breve cortejo, sob acompanhamento de batidores da Política Nacional.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política