Política

Executivo garante apoio às vítimas da estiagem

O secretário de Estado da Acção Social, Lúcio do Amaral, mostrou-se satisfeito com o grau de cumprimento da assistência alimentar, por parte do Executivo, às 70 mil famílias afectadas pela estiagem na província do Cuando Cubango.

09/06/2019  Última atualização 08H53
Nicolau Vasco | Edições Novembro | Menongue © Fotografia por: Lúcio do Amaral avaliou o grau do cumprimento da assistência alimentar às vítimas da seca

Lúcio do Amaral falava sexta-feira, em Menongue, no final da visita de trabalho de cinco dias à província do Cuando Cubango, com realce à região da orla fronteiriça com a vizinha República da Namíbia, mormente Calai, Cuangar e Dirico, com o intuito de avaliar o impacto da assistência que as 350 mil pessoas afectadas pela estiagem estão a receber para mitigar a penúria alimentar em consequência deste fenómeno natural.

Apesar do número reduzido de bens alimentares para acudir a penúria das pessoas afectadas pela estiagem no Cuando Cubango, Lúcio do Amaral sublinhou que o Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher tudo está a fazer para que as ajudas cheguem à população vulnerável, como idosos e portadores de deficiência.
Nos próximos dias, anunciou Lúcio do Amaral, o Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Promoção da Mulher vai receber mais 90 toneladas de bens diversos, sobretudo alimentares, para a distribuição nas famílias afectadas pela seca.
Até agora, revelou Lúcio do Amaral, a província do Cuando Cubango já recebeu ajuda de 191 toneladas de produtos alimentares e não alimentares que estão a ser distribuídos às 350 mil pessoas vítimas da estiagem nos nove municípios que compõem a província do Cuando Cubango. Lúcio do Amaral disse que durante a visita que efectuou aos municípios da orla fronteiriça constatou, com muito agrado, o apoio que as populações estão a receber por parte do Executivo angolano, apesar que não seja definitivo e a quantidade disponibilizada até ao momento ser bastante ínfima em relação ao número de pessoas carenciadas a nível da província.
Ainda este ano, garantiu Lúcio do Amaral, as populações afectadas pela estiagem no Cuando Cubango, para além de beneficiarem de ajuda alimentar, vão receber meios de trabalho, inputs agrícolas e sementes para que possam preparar a terra para as próximas culturas.
Lúcio do Amaral afirmou que o Presidente da República, João Lourenço, está bastante preocupado com a situação da seca que assola sobretudo as províncias do Cuando Cubango, Namibe, Huíla e Cunene. O Titular do Poder Executivo, disse, está a envidar esforços para que todas as pessoas afectadas por este fenómeno natural recebam todo o apoio necessário.

Escolas de campo
O Cuando Cubango será a primeira província a ser contemplada com o projecto de criação de escolas de campo para a formação das famílias camponesas que desenvolvem agricultura sustentável nas zonas da região afectadas pela seca.
A informação foi avançada pelo secretário de Estado para a Acção Social. Lúcio do Amaral salientou que, para alcançar este desiderato, o Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, em parceria com o Ministério da Agricultura, vai, no decurso deste ano, promover programas de formação técnica às famílias camponesas para a sua subsistência.
Sem avançar a data para a implementação do projecto, Lúcio do Amaral garantiu que o Ministério da Agricultura, antes do início da próxima época chuvosa, vai executar o projecto de criação de escolas de campo na região.
“A situação da província do Cunene é bastante diferente da região do Cuando Cubango, visto que a última é bastante rica em recursos hídricos. Nesta senda, é necessário aproveitar-se esta riqueza para a implementação da agricultura de desenvolvimento”, disse.
A construção de centros de acolhimento e outras estruturas sociais é da responsabilidade das administrações municipais, cabendo ao Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher a missão de advogar, junto das instituições afins, a implementação dos mesmos.

Pessoas beneficiadas
O chefe do Departamento da Acção Social do Cuando Cubango, Pedro Diniz, disse que a nível da província, numa primeira fase, foram distribuídas as 191 toneladas em todos os municípios da região.
Pedro Diniz esclareceu que, a nível do município de Menongue, foram distribuídas 21 toneladas, Cuito Cuanavale 17, Cuchi 15, Cuangar 14, Mavinga 13, igual número para o Rivungo, Calai 10 e Nancova nove toneladas que beneficiou cerca de 350 mil pessoas afectadas pela estiagem.
Pedro Diniz informou que estão a ser desenvolvidos vários programas para a mobilização das populações camponesas, para que possam desenvolver agricultura nas zonas próximo dos rios.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política