Política

Executivo entrega títulos de terra a famílias camponesas

O Executivo lança oficialmente, em breve, no município do Chinguar (Bié), o programa "Minha Terra", que visa entregar títulos de terra arável a famílias camponesas inscritas em associações.

27/09/2019  Última atualização 19H01
João Constantino| Edições Novembro © Fotografia por: Os primeiros beneficiários dos títulos de terra serão cerca de 350 famílias camponesas da sede da comuna da Cangala (Bié)

A ministra do Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, realizou quinta-feira uma visita à comuna da Cangala, município do Chinguar, para constatar as condições para o lançamento do programa. Os primeiros beneficiários dos títulos de terra serão cerca de 350 famílias camponesas da sede da comuna da Cangala. Cada família vai beneficiar de um hectar de terra arável para a prática da agricultura. Os hectares estão a ser preparados pelo Instituto de Desenvolvimento Agrário no Bié. A concorrer para a escolha da localidade está o facto da campanha agrícola 2018-2019 no município ter produzido 1.150 toneladas de milho.

"Viemos até aos camponeses para facilitar o processos de aquisição do título de terra. Isso vai facilitar a busca de financiamento para melhorar a produção e a quantidade a produzir. Temos mais de 350 lotes de terras para entregar às famílias para o seu aproveitamento útil e efectivo", disse. Na qualidade de coordenadora-adjunta do Grupo Técnico da Comissão Inter-ministerial para o Registo de Terrenos a favor das Comunidades Locais, Ana Paula de Carvalho esclareceu que o título de concepção de terra vai atestar a propriedade do terreno dos camponeses.

O governador provincial do Bié, Pereira Alfredo, afirmou na ocasião que, com a legalização dos campos agrícolas, os camponeses vão poder trabalhar de forma tranquila. "Vamos tirar proveito do facto de sermos os primeiros munícipes a beneficiar do programa", disse. O governador indicou que a Agricultura é o sector que mais emprega pessoas na província. "Se é o que mais emprega pessoas não há outra via senão o Estado continuar a assegurar as condições sociais para que as populações continuam a exercer esta actividade geradora de emprego e de rendimento das famílias", disse.

"Para o escoamento devo lembrar que o estado está a criar as condições básicas. No âmbito do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios, vamos terraplanar 600 quilómetros de estradas e grande parte delas ligam o meio rural às zonas urbanas", acrescentou. No Bié, a monstra do Ordenamento do Território visitou as instalações do Instituto Geográfico e Cartográfico de Angola. Hoje, a sua agenda de trabalho reserva visita à centralidade do Cuito.

 

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política