Política

Executivo apostado em garantir maior inserção das mulheres

O Executivo está fortemente apostado em garantir uma maior inserção e valorização das mulheres angolanas e conta com estas guerreiras resilientes para os desafios que se colocam ao país, afirmou, domingo, o secretário-geral do MPLA, Paulo Pombolo.

19/10/2021  Última atualização 04H20
SG do MPLA, Paulo Pombolo © Fotografia por: Santos Pedro| Edições Novembro
Ao discursar no encerramento da Feira da Mulher Rural, que decorreu em Luanda, de 14 a 17 de Outubro, o secretário-geral lembrou que o MPLA decidiu fixar em 50 por cento a representatividade feminina nos órgãos e organismos aos diferentes níveis de direcção do partido, no quadro do processo Orgânico do VIII Congresso Ordinário, conferindo à mulher uma maior e melhor participação na tomada de decisão.

Neste sentido, disse, apelamos que a OMA - organizadora da feira - que continue a promover acções para que as mulheres adiram ao processo de registo eleitoral e possam exercer o seu dever cívico de participação na vida democrática do país.

Paulo Pombolo apelou a OMA a continuar a trabalhar na defesa da emancipação e garantia de igualdade de direitos e de oportunidades, na educação, na saúde, no em-prego e na participação política, económica e sociocultural, bem como na alfabetização, a educação para a saúde, o resgate dos valores morais e cívicos, a construção de uma nova mentalidade, a educação ambiental, a formação política e profissional.

A Feira da Mulher Rural enquadrou-se nas comemorações do 15 de Outubro, Dia Internacional da Mulher Rural, celebrado sob o lema: "Mulheres e Raparigas Rurais a Construir uma Resistência Climática”.


  "Mobilização deve começar agora”

O coordenador do Grupo de acompanhamento do Bureau Político do MPLA para o Cuanza-Sul, Pedro Neto, exortou os militantes a empenharem-se na mobilização das massas em todas as localidades, visando responder aos desafios eleitorais do próximo ano.

Pedro Neto, que discursava no encerramento da X sessão Ordinária do Comité provincial do Cuanza-Sul do  MPLA, assinalou que os dirigentes e quadros do partido não devem aguardar pelas Resoluções do VIII Congresso ordinário, que se realiza em Dezembro, lembrando que o momento de mobilização deve começar agora. "Devemos acreditar na nossa capacidade mobilizadora junto das massas, tal como o fizemos nas diferentes etapas. Por isso, não devemos aguardar pelas resoluções do VIII Congresso ordinário", sublinhou.

A reunião apreciou duas candidaturas ao cargo de primeiro secretário do comité provincial, tendo remetido a decisão final à Comissão Nacional de Mandatos.

Na Huíla, o coordenador do grupo de acompanhamento do Secretariado do BP, Álvaro de Boavida Neto, afirmou que o partido tem princípios e valores na acção prática diária com vista a melhoria da qualidade de vida das populações.


Falando no encerramento da VIII Reunião Extraordinária do Comité Provincial da Huíla, que aprovou a candidatura de Nuno Mahapi Dala ao cargo de primeiro secretário provincial e dos candidatos a membros do Comité Central, disse que não pode haver dúvidas e interrogações desnecessárias porque o MPLA tem princípios e valores na acção do dia-a-dia.
Em Benguela, o primeiro secretário provincial do MPLA, Luís Nunes, pediu maior ponderação e serenidade aos militantes, face ao actual contexto político e social.


Ao discursar na abertura da 10ª reunião ordinária do Comité Provincial, o político alertou para que  ninguém caia nas provocações de quem não tem compromisso com a Nação mas tenta, por essa via, incitar ao ódio e ao desrespeito às instituições.


Casimiro José | Sumbe
Arão Martins | Lubango
Maximiano Filipe | Benguela

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política