Mundo

Ex-Presidente comoriano não compareceu ao seu julgamento

O ex-Presidente de Comores, Ahmed Abdallah Sambi, esteve ausente do segundo dia do seu julgamento, devido ao facto de os seus advogados alegarem não existir garantias de que ele seria julgado de forma justa.

24/11/2022  Última atualização 08H14
Ex-Presidente comoriano não compareceu ao seu julgamento © Fotografia por: DR
Sambi, de 64 anos, principal opositor do actual Presidente Azali Assoumani, enfrenta acusações relacionadas com supostas vendas de passaportes comorianos.

"Saímos da audiência porque não tínhamos garantias de ser um julgamento justo", disse Mahamoudou Ahamada, um dos advogados do ex-Presidente, durante uma conferência de imprensa.

Jan Fermon, outro advogado, acrescentou que Sambi, que apareceu com a saúde debilitada na primeira audiência na capital Moroni, isso no início da semana, não comparecerá mais ao processo, que deve terminar ainda esta semana.

A defesa tem defendido que o presidente do tribunal de Segurança que julga Sambi deve se recusar a ter participado anteriormente do painel que decidiu indiciar o ex-dirigente.

Mas o pedido foi negado, com o juiz a afirmar que não tinha conhecimento do mérito do caso.Ali Mohamed Djounaid, que actua como promotor no processo, disse à AFP que um veredicto deve ser anunciado a qualquer altura, independentemente de o ex-Presidente comparecer ao tribunal ou não.

Sambi, que liderou o pequeno arquipélago do Oceano Índico entre 2006 e 2011, já passou quatro anos atrás das grades, apesar da lei limitar a prisão preventiva a um máximo de oito meses.

"Não quero ser julgado por este tribunal", disse Sambi, com uma barba branca aparada, ao comparecer perante os juízes na segunda-feira, chamando o tribunal de "ilegal".

Sambi foi originalmente colocado em prisão domiciliar por perturbar a ordem pública.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo