Política

Ex-gestores estão detidos por apropriação de bens do Estado

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) no Uíge deteve, no sábado e domingo, dez ex-gestores públicos acusados de se terem apropriado, indevidamente, de bens do Estado, no período de 2013 a 2018.

05/10/2021  Última atualização 06H00
Um ângulo da cidade do Uíge, onde o SIC deteve administradores comunais com bens públicos © Fotografia por: Vigas da Purificação | Edições Novembro
Segundo o porta-voz do SIC no Uíge, terceiro sub-chefe, Zacarias Fernando, trata-se de ex-administradores comunais dos municípios de Maquela do Zombo, Songo, Bembe, Negage, Mucaba, Quitexe e Milunga, bem como do ex-chefe do Departamento de Gestão e Orçamento do Gabinete provincial da Educação. 


Uma fonte ligada ao processo disse, ao Jornal de Angola, existirem casas, dinheiros e outros bens ocultados em nome de familiares dos arguidos, por isso se achou pertinente a privação de liberdade aos arguidos, para não obstaculizar o normal andamento das investigações.

Além da apropriação indevida de património público - sobretudo viaturas -, que é o principal indício criminal do processo, pesam ainda sobre os arguídos crimes de desvio de outros bens supostamente terceirizados, em nome de parentes e amigos.

Os acusados estão detidos na comarca do Uíge, enquanto aguardam pela tramitação dos processos-crime, que se encontram sob a alçada do Ministério Público, informou o sub-chefe Zacarias Fernando, no momento em que apresentava, à imprensa, o líder de um grupo criminoso, que actuava na periferia da cidade do Uíge.

Entre as viaturas recuperadas, num total de seis, estão uma carrinha Isuzu, uma Suzuki Jimny, três Toyota Land Cruiser e uma Hilux. Também estão apreendidas duas motorizadas.

Nicodemos Paulo | Uíge

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política